domingo, 25 de setembro de 2016

Review: Lex Luthor - Homem de Aço (Editora Panini)

Leia o review de Lex Luthor – Homem de Aço, que reúne a minissérie em cinco edições da revista Lex Luthor – Man of Steel, escrito por Brian Azzarello e desenhos de Lee Bermejo, lançado pela Editora Panini em encadernado capa cartão, papel LWC, 132 páginas.


Análise:
Faltam poucos dias para a inauguração da Torre da Ciência. Uma experiência em laboratório para a criação de uma poderosa arma de combate robótica. Uma improvável aliança com Bruce Wayne. Qual a relação de Lex Luthor com todas essas situações? Enquanto acompanhamos o dia-a-dia do mega empresário, todas essas pequenas peças de um quebra-cabeça maior se juntam pintando um quadro que retrata o verdadeiro Lex Luthor na visão de Brian Azzarello. O autor deixou bem claro quem é Lex Luthor não somente no clímax da trama, mas durante toda ela, mostrando toda a animosidade existente entre ele e o Superman.

É possível ver em uma mesma edição, um Lex filantropo, humanista, mas ao mesmo tempo um empresário inescrupuloso e calculista. Os desenhos de Lee Bermejo, principalmente ao retratar o Superman, expõe exatamente como Lex vê o Homem de Aço, um alienígena poderoso, mal, que se coloca acima da humanidade, a mesma posição que Luthor tanto almeja, daí seu desabafo nas cenas finais ficam bem claros. E para ajudar, é uma trama que não requer um ponto cronológico específico, tornando-se acessível a qualquer leitor. Como eu disse anteriormente, estamos diante da visão de Azzarello sobre Lex Luthor, o que não significa que seja a versão definitiva, mas com certeza, é uma visão mostrada de forma impecável. Em minha opinião, uma leitura obrigatória.


Por Roger

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

HISTORIETA DE QUINTA #11


Hoje não é Quinta, mas nunca é demais ler esses caras. Hoje tem ironias do dia a dia do Batman, até mesmo indignação com um certo deputado... Que agora encontra-se "cassado". Fugindo um pouco do tópico, a entrevista do Roger já tá quase finalizada, e acredito que há uns 15 GB de quadrinhos que upei nos últimos tempos, esperando serem distribuídos em vários posts... 









terça-feira, 20 de setembro de 2016

Top 20 Vendas (EUA) – Agosto de 2016

A Diamond publicou a lista das HQs mais vendidas em agosto de 2016 nos EUA. Confira o top 20:

1. Harley Quinn #1 (DC)

2. All Star Batman #1 (DC)

3. Suicide Squad #1 (DC)

4. Amazing Spider-Man #16 (Marvel)

5. Suicide Squad Rebirth #1 (DC)

6. Batman #4 (DC)

7. Batman #5 (DC)

8. Justice League #2 (DC)

9. Harley Quinn #2 (DC)

10. Supergirl Rebirth #1 (DC)

11. Justice League #3 (DC)

12. Deathstroke Rebirth #1 (DC)

13. Walking Dead #157 (Image)

14. Nightwing #2 (DC)

15. Flash #4 (DC)

16. Superwoman #1 (DC)

17. Detective Comics #938 (DC)

18. Superman #4 (DC)

19. Wonder Woman #4 (DC)


20. Star Wars #22 (Marvel)

POR TRÁS DOS QUADRINHOS: GIGANTA

Eis aqui uma das vilãs da galeria de inimigos da Mulher Maravilha, mas que é constantemente vista em grupos de vilões, normalmente enfrentado a Liga da Justiça. Principalmente, nas animações, desde o antigo desenho dos Super Amigos da Hanna Barbera.
Em sua forma aumentada, a vilã possui super força proporcional a seu tamanho, além de resistência e invulnerabilidade limitada. Ela em média tem o tamanho de 15 metros, mas há relatos de que pode alcançar os 30 metros de altura.
GIGANTA, assim como a Mulher Maravilha, foi criada pelo Dr.William Moulton Marston e Harry G. Peter e fez sua primeira aparição na Mulher Maravilha #9, junho 1944.
Agora, quanto a sua origem, é no mínimo algo diferente. A Versão concebida em 1944 nos apresenta uma personagem que era uma gorila fêmea, que foi evoluída para uma mulher graças à uma máquina de um tal de Professor Zool. Nessa época, Giganta era apenas uma mulher super forte e semelhante a uma mulher das cavernas. Porém, com o passar dos anos, a personagem sofreu algumas reformulações e em 1966, na revista Mulher Maravilha #163, conhecemos a Dra. Doris Zuel, uma cientista com uma doença fatal que a faz tentar trocar de corpos com a Mulher-Maravilha. A Vilã tem seus planos frustrados e acaba presa no corpo de uma gorila, porém depois consegue transferir seu intelecto para o corpo de uma artista circense chamada Olga que se apresentava com o nome de Giganta, pois tinha a incrível habilidade de aumentar de tamanho. O Detalhe é que esta artista estava em coma na ocasião, vitima de uma misteriosa “Xamã”. Daí por diante, a Dra. Dóris Zuel manteve a alcunha de Giganta e passou a ser a vilã que conhecemos. Recentemente nos  Novos 52, esta origem foi novamente reformulada. Na nova versão Dóris Zeuel era uma criança com um grave doença que é submetida a processo experimental que lhe curou e acabou lhe dar a habilidade aumentar de tamanho, contudo quanto maior ela fica menor a sua inteligência.
GIIGANTA, desde sua criação participa de grupos de vilões. O Primeiro foi  a Corporação Vilania, Liga da Injustiça, Sociedade Secreta dos Super Vilões, Seis Secretos, Fúrias Femininas e até aonde soube chegou a ser recrutada pelos agentes da SOMBRA.

Dentro do REBIRTH DC ainda não soube de nada relacionado a esta personagem.

CONVITE
Se você por acaso é FÃ da Mulher-Maravilha, ou a admira como um personagem marcante do mundo NERD. Te convido a fazer parte do GRUPO: Mulher-Maravilha,Princesa de Themyscira!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

O BRASIL DE ONTEM É O DE HOJE?


Bem, sempre que vejo algo interessante, me vejo com um pequeno dever de citar aqui, e na maioria dos casos, transcrever aqui. Um amigo meu, pedindo autorização ao dono desse post de desabafo no Facebook, me enviou esse pequeno texto abaixo. Por que ele é tão importante? Primeiramente porque são palavras sinceras de alguém experiente na vida, e em segundo, preciso exemplificar o quanto isso cai como uma luva na situação econômica e moral do nosso país? O link original da postagem está logo abaixo.
                    
“No final dos anos 80s eu fui trabalhar como funcionário em uma área de produção de uma das maiores fábricas de calçados do Espírito Santo, foram dois anos de muitos trabalhos, eu acordava as 3:30 h da manhã para pegar o ônibus ás 4:30 h e chegar antes da seis horas no serviço que começava as seis. Eram oito horas em pé na frente de uma máquina, eu era operador da mesma, com um intervalo de 20 minutos para o almoço. Durante um período de 6 meses , trabalhei no horário noturno de 22 horas às 6 horas , e parávamos 15 minutos de madrugada para fazermos um lanche, tempo de muito trabalho, coisa que hoje os jovens nem ao menos pensam em tentar.
 Pois bem em meados de 1990 paramos a fábrica compulsoriamente, não tínhamos representação sindical e todos estávamos indignados dos donos da fábrica nos oferecerem 6% de aumento enquanto a chefia praticamente teve os salários duplicados, fui líder da greve e fundamos um sindicato, antes da greve acabar a empresa havia me demitido, eu poderia ter ficado, já que como diretor sindical eu tinha estabilidade, mas sai fora e comecei a trabalhar como segurança patrimonial ao qual é a profissão que exerço até hoje. Tenho curso de qualificação e mais seis reciclagens, tenho um curso superior e tento a cada dia continuar trabalhando com dignidade e honestidade, pois foi assim que meu pai ensinou a mim e meus outros sete irmãos. Mas hoje em dia vejo jovens indo a cada dia mais para o lado sombrio das vida e fico pensando que meu tempo aqui já era e que não quero fazer parte desta perversão toda a qual o mundo está indo. Só acordo e conto mais um dia e vou vivendo ............ e tentando entender .........





Review: Apocalypse Al (Image Comics)

Leia o review de Apocalypse Al, encadernado, 128 páginas, lançado em 2014 pela Image Comics, escrito por J. Michael Straczynski e desenhos de Sid Kotian.


Review:
Al é Allison Carter, investigadora particular especializada em evitar o fim do mundo. Sua próxima missão é impedir que o portal do inferno seja aberto trazendo o fim de tudo. O problema é que a pessoa que possui o livro Book of Keys, contendo a chave para abrir esse portal não tem muito conhecimento sobre assuntos místicos e acaba usando o livro para abrir todo tipod e portal sobrenatural até encontrar o que abre as portas para o inferno.

Um conto sobrenatural recheado de humor e ação. JMS nos apresenta uma personagem sagaz, corajosa e independente, além de criar vários personagens coadjuvantes que acabam enriquecendo a história – Mike, um zumbi que serve como mensageiro contratante, Ultimate Darkness, que domina as trevas supremas, Scott, ex-amante e parceiro, mas agora um morto-vivo, Ronnie, um pervertido especialista em tecnologia, Max, o profeta que não consegue selecionar o que irá prever e outros. Você pode até achar a motivação do “vilão” da história sem sentido ou fraca, mas a verdade é que JMS é bem-sucedido naquilo que se propôs nessa série e é diversão garantida. Leia com a intenção de se entreter e irá provavelmente irá gostar.



Por Roger

sábado, 17 de setembro de 2016

FAN FILM: PAC MAN, O FILME!

PAC-MAN ( "Come Come" pra galera anos 80) foi o primeiro jogo de MUITOS gamers. Foi o primeiro cartucho do Atari 2600. Ele já foi curtido como desenho animado, mas a única coisa que MUITOS esperavam ... nunca aconteceu. Por que nunca fizeram um filme do PAC-MAN?  A resposta para isso, é claro, é incrivelmente simples. PAC-MAN não fazia sentido! Ou seja ... O que é um Pac-Man? O que são aqueles fantasmas? O que é/ou onde está aquele labirinto? E como, exatamente, o Pac Man usa uma saída no lado esquerdo da tela e reaparece na direita? Fala sério, é totalmente absurdo e aleatório.
Então, James Farr escreveu um script. E de repente ... já não era sem sentido.
E assim nasceu PAC-MAN: O Filme – uma história que faz sentido e leva o famoso personagem ao mundo da ação.
Um sonho de infância que se tornou realidade graças ao esforço da Steelehouse Productions. Um time de NERDS brilhantes, de jogadores, cinéfilos, todos dos anos 80 e (obviamente) fãs de Pac-Man.  Segundo a equipe este Fan Film é uma carta de amor para os anos 80, ao PAC-MAN, e a NAMCO por ajudar a tornar suas infâncias muito divertidas. Um filme que MUITOS esperaram a vida inteira para ver. O que poderia ter sido o maior filme dos anos 80.

(Este texto é uma livre adaptação do conteúdo publicado no site: http://projectyellowsphere.com/)
CONVITE!
Se você aprecia este tipo de postagem, lhe convido a se juntar ao nosso GRUPO no facebook que é dedicado a compartilhar curiosidades e imagens do passado antigo ou mesmo mais recente, desde que sejam curiosas e que nos tragam boas memórias.
JUNTE-SE A NÓS: MEMÓRIA NERD 

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

POR TRÁS DOS QUADRINHOS: CIRCE, A DEUSA VILÃ

Circe, a deusa!

CIRCE é uma das maiores antagonistas da princesa Diana, e também de todas as Amazonas. Esta deusa da magia, e vilã regular das histórias Mulher-Maravilha vem diretamente da Mitologia Grega.  
Sua primeira aparição foi em Mulher Maravilha #37 (1949), criada por Robert Kanigher e Harry G. Peter. Claro que a Circe, em suas primeiras histórias, era muito diferente de sua versão atual. 
A rivalidade entre ela e a Mulher-Maravilha tem histórias distintas. Numa das versões começou por conta da Rainha Hippolyta ter banido a feiticeira de seu reino. Noutra Circe temia uma profecia lançada por Hécate: "Sob a morte da bruxa e o nascimento da bruxa, Hécate, por nome e escolha, irá repossuir sua alma". Acontece que Hécate fazia parte do trio de deusas lunares juntamente com a deusa Diana (Ártemis) e a titânide Selene; Circe teria suposto  que a Mulher-Maravilha, por ter o nome de Diana, poderia tomar-lhe o poder. Desde então teria decidido perseguir a heroína.

Circe é uma deusa e uma poderosa feiticeira. Devido a sua divindade é imortal. Seus poderes são vastos: ela é capaz com sua magia de alterar a realidade, manipular a matéria, voar, absorver poderes, projetar seu plano astral em qualquer dimensão, mas é famosa por seu principal feitiço que transforma seres humanos em animais variados, lembrando muito o que a Circe da mitologia grega fez em A Odisseia.

Circe também possui um espelho mágico, o Espelho de Circe, que permite que qualquer pessoa que o olhe se transforme em outra pessoa. É considerado um objeto proibido pelos deuses do Olimpo. Circe também pode magicamente convocar, atrair e seduzir os homens apenas com melodias ou canções, semelhantes ao de uma sereia.

MEMÓRIA NERD: O ENIGMA DA PIRÂMIDE...A Inglaterra juvenil antes de Harry Potter!


Bem, mais uma vez tento surpreender meus amigos NERDS curiosos ou saudosistas de plantão. Este filme em especial foi bastante marcante em minha vida. Lembro que ele meio que veio na contra-mão dos “contos de fada” infanto-juvenis e de modo MUITO inteligente apresentou à minha geração um personagem clássico da literatura, imaginado e escrito pelo Doutor Sir Arthur Conan Doyle. De quem estou falando? De Sherlock Holmes, claro! O Personagem que se tornou sinônimo de Detetive e que, ainda hoje é confundido com uma pessoal da história inglesa. Recentemente vimos ótimas adaptações do personagem interpretado por Robert Downey Jr (Homem de Ferro). Mas, em 1985 a história foi um pouco diferente. Sob a produção de Steven Spielberg e a direção de Barry Levinson vimos surgir um filme original que narra uma aventura que NUNCA foi escrita pelo autor do personagem, mas que poderia ter sido. O que tinha tudo pra ser uma história de suspense e mistério se torna uma grande aventura com muita ação e bons efeitos especiais (para a época!) que prendem o espectador ainda nos dias de hoje. Pra quem ainda não assistiu, a trama é a seguinte: Em 1870, na Londres vitoriana, pessoas são acometidas de alucinações ao serem atingidas por um misterioso dardo, e estas visões acaba as levando à morte. É dentro deste contexto que os jovens estudantes: Sherlock Holmes (Nicholas Rowe) e John Watson (Alan Cox) se conhecem. Ambos alunos de uma escola pública inglesa, sendo que nesta mesma época Holmes soluciona seu primeiro mistério. Esta escola é repleta de esnobes, sob um clima bastante sombrio da velha Londres vitoriana do século XIX.  Imagine que Holmes tenha uma bela namorada e pense: Por que será que ele nunca se casou? Há ainda um cientista louco e, por fim, somos testemunhas de como o célebre detetive foi adquirindo seus inseparáveis objetos - o cachimbo, a capa, o chapéu e o violino.  

Parece interessante? Não?
Me deixe contar umas curiosidades.

A neve falsa utilizada durante as filmagens matou a grama da Universidade de Oxford, onde parte do filme fora rodado, e Steven Spielberg teve de reembolsar a universidade com uma considerável quantia em dinheiro.
O filme recebeu uma indicação ao Oscar de Melhores Efeitos Especiais. Aliás, foi um dos primeiros a utilizar os recursos da computação gráfica na época (1985).
Faz parte de um quarteto de filmes de sucesso produzidos por Spielberg naquele período, sendo eles: ''De Volta para o Futuro'', ''Os Goonies'' e ''Gremlins'';
Barry Levinson dirigiu ''Rain Man (Oscar 1988) e com o roteiro de Chris Columbus, que mais tarde se tornaria diretor de ''Harry Potter'', obviamente tentando seguir na mesma linha de mistério e fantasia na franquia do bruxo de óculos.
A Trilha sonora foi composta por Bruce Broughton, que deixou sua marca registrada em filmes como ''O Monstro do Armário''(1986), ''Silverado''(1985) e ''Um Hóspede do Barulho''(1987), só para citar alguns dos anos 80. Uma das canções marcantes foi ''Washing Elizabeth'', na cena do ritual egípcio, fácil de encontrá-la nos sites de downloads.
               


quarta-feira, 14 de setembro de 2016

POR TRÁS DOS QUADRINHOS: Nuclear (Firestorm) - O Homem Atômico

Nuclear ou no original em inglês Firestorm e um personagem da DC Comics que foi criado na Era de Prata por Gerry Conway e Allen Milgrom. Na realidade boa parte dos fãs brasileiros tiveram contato com ele através da animação da Hanna Barbera Superamigos. Eu mesmo foi um deles, e na época o personagem era conhecido na TV como Tempestade (nome que se aproximava mais do original Firestorm -Tempestade de Fogo). Só passei a conhecer ele como Nuclear, quando passei a ler as Hqs da DC publicadas no Brasil pela Editora Abril, antes disso era publicado pela EBAL.

Como disse o personagem foi criado na Era de Prata por Gerry Conway e Allen Milgrom. Teve sua estreia na revista Firestorm #01 em 1978. Origem era bem distinta das demais, já que o personagem era formado por dois indivíduos, possuindo assim duas personalidades. Nuclear era formado pelo Prêmio Nobel de física Martin Stein e pelo estudante de escola secundária Ronald Raymond. Ambos foram pegos num acidente Nuclear que permitiu que aos dois se fundirem num único ser, o Homem Atonico que ficou conhecido como Nuclear (Firestorm). Como no acidente o professor Stein estava desmaiado, Raymond passou a controlar o corpo e o professor passou a ser uma voz de orientação, passando informações.
Seus poderes na época eram variados:
- Capacidade para reorganizar a estrutura atômica e molecular da matéria.
- Pode alterar a densidade de objetos, incluindo o seu próprio corpo, e torná-los intangíveis.
- Pode absorver força explosiva e radiação para dentro do corpo.
- Força Sobre-humana.

Após sua transformação, eles decidiram usar seus poderes para ajudar e se tornaram um super-herói. Ele fez parte da liga da justiça, sendo um dos heróis importantes da equipe. Nuclear participou ativamente da Crise nas Infinitas Terras.
Em 1986 com a saída de Conway da serie, John Ostrander assumiu o comando de Nuclear e mudou totalmente a linha do personagem, dando uma postura bem diferente ao Nuclear, que passou a se importar com o meio ambiente, questões políticas. Durante esta fase o professor Stein desenvolveu um câncer que não era tratável, devido ao acidente. Como ultimo desejo, ele queria tornar o mundo melhor e começou a um arco de ações que o colocariam diretamente contra os governos do mundo. Ele decidiu forçar as grandes nações a abrirem mãos de todo o seu armamento nuclear. Este ato não foi bem visto e o Governo Americano enviou uma força de ataque inicialmente composta de militares, mas depois ao ver que não haviam conseguido nada, enviaram super-heróis e depois vilões ligados ao esquadrão suicida. No final um super ser soviético conhecido como Pozhar alcunha para o cientista Mikhail Denisovitch Arkadin, que havia sido afetado por um acidente nuclear e se tornado um homem atômico que foi vivia confinado numa roupa de contenção, foi enviado para lutar contra Nuclear no deserto de nevada. Na luta Nuclear venceu, deixando Pozhar preso numa piscina de água pesada, já que sua roupa havia sido destruída. Tanto o governo americano, como Russo, vendo que não havia outro jeito, decidiram lançar uma bomba atômica em Nuclear. No momento em que a bomba foi lançada, Professor Stein e Raymond se separam, com o professor caindo no chão aparentemente morto. Pozhar percebe que o Nuclear e composto por duas pessoas e ao ver que a bomba vai acertar aos dois, tenta ajudar aos dois a se fundir novamente, mas antes que eles possam fazer outra coisa a bomba explode sobre os três e toda a explosão, pulso magnético, calor e radiação e absorvida para o centro onde os três estavam e quando a fumaça passa, Nuclear esta no centro do ponto zero totalmente para lizado. O exercito americano ataca o Nuclear que revida e derrota a todos, quando o general americano informa ao Nuclear que tanto os russos como os americanos iram iniciar o desarmamento. Quando ele fala isso nuclear desaparece. Enquanto isso Tanto Raymond como Arkadin reaparecem cada um em sua casa, sendo que Raymond diz que ele não controla mais o Nuclear e que o Arkadin agora faz parte desse novo Nuclear. Na realidade este novo Nuclear era formado pela mente em aminésia do professor Stein, sendo assim era formado por três seres numa fusão.
Em 1989, esta fase foi alterada profundamente, quando Raymond e Arkadin enfrentaram um Clone deles na Russia, sendo derrotados e tendo a consciência de Stein sendo absorvida por ele. Eles recorreram a ajuda de um mago russo, que lhes disse que na realidade o Nuclear era uma força elemental da fogo que a mãe terra estava chamando para defender ela contra o abuso que estava sofrendo. Na realidade este elemental, queria se fundir ao Professor Stein, mas ele estava inconsciente. O Mago Russo, disse que só havia um jeito de ajuda-los, que a forma verdadeira do Elemental fosse liberada, mas isso faria com quem Arkadin e Raymond deixassem de existir como eram. Liberando a forma real do Elemental, tanto Raymond como Arkadin deixam de existir como seres independentes como a mente de Stein e liberada. Agora Nuclear e um elemental do fogo e tem como foco defender a terra contra a poluição e devastação.
Esta na fase do Nuclear se mostrou fraca, tendo um baixo retorno do publico, sendo posteriormente cancelada. Mas antes do cancelamento o Professor Stein se tornou o verdadeiro elementar do fogo, substituindo Raymond e Arkadin que foram foram devolvidos às suas velhas vidas, e o novo Nuclear foi exilado acidentalmente no espaço no processo de salvar a Terra, onde passou muitos anos viajando como um errante. Após isso, voltou à Terra em duas ocasiões: o evento crossover Guerra dos Deuses, e em Extreme Justice #5, onde com ajuda do Capitão Átomo, curou Raymond de sua leucemia, permitindo que ele pudesse retre o poder original do Nuclear. Com o Raymond voltando a ser o Nuclear, ele volta a aparecer em várias publicações, atuando como Nuclear, bem como participando da Liga da Justiça. 

Foi no crossover Crise de identidade que Raymond tem o peito atravessado por uma espada magica, fazendo com que ele explodisse. A energia residual decorrente da explosão do Nuclear se funde no Jason Rusch, que passa a se transformar no Novo Nuclear. Apesar de aparentemente morto, Raymond ainda existia como espirito na matriz energética do Nuclear. Este novo Nuclear era bem diferente do anterior, pois ele pode se transformar apenas tocando em qualquer pessoa que automaticamente a fazer parte da matriz do Nuclear.O único problema e que se ele não tivesse cuidado, a pessoa podia ser totalmente absorvida deixando de existir. Os poderes deste novo Nuclear eram praticamente iguais, sendo que ele agora podia transmudar matéria orgânica. Como tempo, ele desperta o espirito de Raymond que o ajuda em uma ocasião. Depois ele encontra o professor Stein que o ajuda e reconfigurar o poder da Matriz Nuclear e por algum tempo faz parte do Nuclear, sendo posteriormente raptado pelo Darkseid.
Após os eventos de Flashpoint, Nuclear e alterado, tendo sua origem recontada. Dessa vez o Professor Martin Stein e apenas mencionado como criador da Matriz Nuclear e o seu aluno Jason Rusch, fosse com a Matriz que acidentalmente e absorvida por ele e por Raymond que passam a se transformarem no homem atômico cada um, sendo que Jason tem o poder de transmutar e Raymond de liberar rajadas de energias e quando eles se fundem, forma o fúria, um ser gigante que tem os mesmos poderes do Nuclear original, e com a mesma personalidade do Nuclear Elemental. Esta fase foi fraca e descaracterizou totalmente o personagem. No final da saga os dois passam a se fundir e formar um Nuclear bem mais semelhante ao original.
Contribuição do amigo Marcello Paulino do Diário de Bordo

Hmm

...