.

Pesquisar este blog

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Tesouros perdidos que você pode encontrar - parte 1 de 3


Ganhar na loteria é o sonho de qualquer um, mas é tão improvável que muitos desistem antes mesmo de tentar. Entretanto há uma forma relativamente mais simples de ganhar uma fortuna de proporções épicas que nenhuma loteria jamais poderia te pagar: encontrar um tesouro perdido. Há, na verdade, muitos tesouros escondidos e perdidos pelo planeta. Se você tiver sorte e muita paciência pode até se arriscar a ir procurar alguns.

Nos próximos dias revelarei mais e mais tesouros. Está preparado (a) para a caçada? Vamos a eles:


SOB O MAR


Famoso tesouro - Barba Negra foi um dos piratas mais bem sucedidos do mundo e também um dos mais cruéis, o que lhe rendeu uma lendária fama que se perpetua pelos séculos. Costumava navegar pelo Caribe com seu navio “Vingança da Rainha Ana” (Queen Anne Revenge). O navio fundou, mas a dúvida nunca se calou: o tesouro afundou junto? O caso é que em 1996 restos de um antigo navio naufragado foram encontrados na costa da Carolina do Norte a 7,6m de profundidade. Registros atestam que em 1718 o famigerado navio encalhou em um banco de areia após tentar bloquear o porto de Charleston, ou seja, o lugar onde os destroços se encontram é bem perto do lugar onde supostamente o navio encalhou. Infelizmente mais nenhuma investigação foi feita no local e os destroços acabaram não sendo identificados. A localização do tesouro perdido do Barba Negra também nunca foi descoberta, já que ele disse no interrogatório antes de sua execução: “só eu e o diabo sabemos”. Levando em conta a localização, não é impossível que seja o famoso navio e quem um dia se atrever a xeretar, possivelmente poderá encontrar uma bela fortuna!

Retrato de Barba Negra.

O orgulho português - “Flor do Mar” era um dos maiores orgulhos da marinha portuguesa (e, só pra constar, naus eram navios gigantescos e os maiores navios daquela época). Construída em 1502, tinha ninguém mais, ninguém menos do que o irmão do Vasco da Gama como capitão, o Paulo da Gama. A nau não só fazia o transporte de mercadorias, como também participou de algumas batalhas navais. Naquela época era comum também navios terem a mesma função de carros-fortes de hoje em dia, ou seja, transportavam todo o ouro e prata (principalmente os oriundos de impostos) para Portugal ou para as colônias. O caso é que a Flor do Mar tinha acabado de pegar uma carga de 60 toneladas de puro ouro que era parte do tesouro do reino de Malaca, na Malásia, e que seria um presente de Dom Afonso de Albuquerque ao rei Dom Manuel I, mas não contava com uma forte tempestade no meio do caminho. O naufrágio foi inevitável, causando um baita prejuízo para Portugal (e possivelmente uma frustração enorme para o rei). Para se ter uma ideia, esta carga ainda é a mais cobiçada e procurada do mundo! A nau naufragada é considerada a mais importante e mais valiosa que está no fundo do mar, principalmente por causa das relíquias históricas. Titanic é uma tranqueira perto dela dela. A boa noticia é que o tesouro se manteve intacto durante todos estes anos. A má noticia é que duas empresas de salvamento submarino encontraram a dita cuja com drones especiais. Elas afirmam que a nau esta no mar de Java, próximo à cidade de Seramang na Indonésia. A ótima noticia é que ninguém se mexeu ainda para comprovar se os destroços são mesmo da nau portuguesa e que provavelmente a Malásia nunca irá gastar dinheiro pra recuperar o tesouro (sim, ela espera que alguém o faça por ela).  A péssima notícia é que o governador de Malaca exigiu que, se recuperado, o tesouro deverá voltar ao lugar de origem. O curioso é que em Malaca há uma réplica da nau que é um museu marítimo da cidade.
Desenho mostrando a grandiosidade da nau Flor do Mar.


SOB A TERRA

O ouro do velho oeste - nos anos 1800 a febre do ouro movimentava a América do Norte, principalmente os Estados Unidos. Muitos homens ficaram ricos e outros encontraram apenas algumas poucas pepitas douradas. Alguns até avançaram em direção à América Central tentando encontrar o veio perfeito de ouro, mas o que poucos sabiam na época é que uma fortuna poderia estar bem debaixo dos seus narizes. De acordo com relatos e registros, o capitão Custer travava uma dura batalha contra os índios, mas estava perdendo feio. A prova disso eram os inúmeros corpos dos soldados mortos em combate e outros vários feridos nas batalhas. O capitão Marsh subia o rio Bighorn com seu barquinho à vapor para trazer suprimentos para a batalha contra os índios quando soube do fiasco do Capitão Custer. O problema é que ele tinha pego ouro de mineradores que morriam de medo de serem atacados pela tribo dos Sioux, mas então veio a dúvida: como acomodar corpos e mais corpos num barco a vapor pequeno cheio de ouro? Certamente tanto peso faria o barco afundar. Então o capitão Marsh enterrou o os 375 mil dólares em barras de puro ouro na costa do rio e partiu com os soldados. Há quem diga que Marsh recuperou o ouro depois, mas não existem registros disso e até hoje tem gente procurando pelas margens como loucos!

Rio Bighorn

Ouro gângster - Dutch Schultz era o típico gângster dos anos 30: contrabandeava produtos, fazia jogos de azar e assassinava pessoas. Quando os federais ficaram na sua cola, Dutch resolveu se precaver: pegou toda a sua fortuna  (estimada em 5 milhões de dólares e que provavelmente veio dos “trabalhos sujos” que fazia) e a enterrou numa caixa de ferro nas montanhas Catskill, em Nova Iorque. Em 1935 acabou sendo morto e levou o segredo do esconderijo de seu tesouro para a cova. Nenhum outro centavo de sua fortuna foi encontrado depois disso.
  
Dutch Schultz

Poupança mal resolvida - a grande depressão assolava o mundo nos anos 30 e isso fez com que o preço do ouro subisse a preços exorbitantes jamais vistos. Eis que um milionário mexicano chamado Leon Trabuco teve uma ideia brilhante: comprou secretamente todo o ouro que podia e o armazenou no deserto do Novo México. Ele planejava vender tudo quando o preço atingisse um pico memorável e, desta forma, ganharia uma fortuna colossal. O problema é que a Lei do Ouro atestava que a propriedade privada de ouro era totalmente ilegal. O milionário espertalhão acabou sendo preso e dizem as más línguas que tanta cobiça trouxe uma maldição para ele e seus homens, pois 3 deles morreram em 5 anos de forma estranha. Acredita-se que tenham acumulado cerca de 16 toneladas de ouro, mas o segredo de sua localização acabou indo com Trabuco e seus companheiros para a cova.


Tesouro medieval - os Cavaleiros Templários surgiram em 1114, durante as cruzadas. Uma de suas funções era de que eles supostamente deveriam garantir que cristãos pudessem fazer suas peregrinações da Europa até Jerusalém em segurança, mas a coisa acabou virando pra outro lado e os Cavaleiros Templários logo se desvirtuaram. Ao longo do anos e depois de duras jornadas, eles acumularam uma fortuna considerável e um histórico bem sujo, aliás. Aconteceu que no século XIV a maioria deles foi preso e torturado até a morte pelo rei Filipe IV. Os poucos que escaparam pegaram os tesouros e fugiram. Acredita-se que tenham ido para a Escócia, mas também se sabe que alguns deles foram vistos na Nova Escócia, no Canadá. O tesouro nunca foi encontrado, mas em Oak Island há uma lenda famosa de um poço de dinheiro que supostamente está enterrado sob o solo. Acredita-se que possa ser um poço onde estão guardados os tesouros mais secretos do que sobrou dos Cavaleiros Templários. Há ainda quem diga que esse tesouro foi usado para financiar a independência dos Estados Unidos.


Coruja de ouro - em 1993 uma pessoa com pseudônimo de “Max Valentin” supostamente enterrou uma coruja de ouro no interior da França. Ele prometeu pagar 1 milhão de francos a quem encontrasse a tal coruja e para isto deu 11 dicas. Por mais que os caçadores se empenhassem, não tinham conseguido encontrar nada. Em 2009 Valentin morreu e consigo se foi o segredo da coruja, mas a caça ainda está de pé. Antes de ir, ele afirmou que a coruja existe e está mesmo enterrada, que não estava mentindo ou brincando. O que se sabe é que um dos caçadores chegou bem perto de encontrá-la, como o próprio Valentin confirmou quando viu uma escavação próxima do local correto. Quem foi o quase sortudo ninguém sabe.

Imagem meramente ilustrativa.

Ataque surpresa - em 1840 uma mina de ouro foi descoberta por uma família nas Montanhas Superstition no Arizona, Estados Unidos. Enquanto levavam o ouro para o México, a maior parte da família foi massacrada por um ataque surpresa dos Apaches. Apenas 2 sobreviveram pra contar a história e fugiram para o México para nunca mais voltar. O local ficou conhecido como “Massacre Grounds” (lugar do massacre). O caso é que muita gente na época afirmou ter mapas e saber a localização da rica mina, mas curiosamente ninguém nunca a encontrou até que um alemão chamado Jacob “The Dutchman” Waltz finalmente a encontrou com a ajuda de um descendente da família massacrada. Em seu leito de morte em 1891, ele revelou à sua cuidadora Julia Thomas o lugar preciso. O problema é que a informação em si era incompleta e confusa, por isso ninguém nunca mais encontrou o lugar.

Montanhas Superstition

Navegando no deserto - já imaginou um navio no meio do deserto? Pois foi o que supostamente aconteceu com um navio espanhol carregado de pérolas. Os cientistas acreditam que isso só foi possível porque o Rio Colorado colidiu com o Golfo da Califórnia. O navio acabou ficando no meio da confusão de águas e teoricamente foi parar em Salton Sea. A historia acabou virando uma lenda na região, principalmente porque o navio nunca foi encontrado e porque tem tantas pérolas dentro dele que o sortudo que o encontrar certamente poderá rechear a sua conta bancária.


-Tumba poderosa - o primeiro imperador da China unificada foi Quin Shi Huang. Ele conseguiu unificar todos os Estados num único império e se tornou um dos maiores líderes que o mundo já viu. Como todo bom imperador, ele decidiu que a sua tumba seria majestosa. Historias e lendas contam que a quantidade de tesouros nessa tumba chegam a assustar qualquer um. Além do mais, há um exército gigantesco de homens de terracota protegendo o lugar. Porém as histórias também contam que ela está rodeada de uma armadilha muito perigosa: rios de mercúrio. Tal componente é extremamente tóxico e perigoso, então os arqueólogos estão tomando todo o cuidado possível para escavar um lugar onde acredita-se que seja a tumba do famoso e grandioso imperador chinês, mas nada foi encontrado ainda.

Quin Shi Huang

Coordenadas confusas - em 1800 havia uma igreja no Peru chamada Pisco e que tinha um tesouro valioso guardado. Eis que 4 soldados do exército peruano tiveram uma ideia: conquistaram a confiança dos padres e depois os enganaram, matando-os e enchendo um barco com o tesouro que supostamente deveria ter ido para a Espanha. Estou falando de 14 toneladas de pepitas de ouro, 7 castiçais de ouro incrustados com joias, 38 colares de diamante, anéis de joias, braceletes, crucifixos, um baú cheio de moedas espanholas e outro cheio de pedras preciosas e outros ornamentos e joias. Eles já conheciam a região, então esconderam o tesouro e fugiram para a Austrália. Fizeram um mapa que usariam para recuperar o tesouro depois. Mais tarde, dois deles morreram antes mesmo de tentar voltar e dois foram presos, sendo que só um sobreviveu à prisão. Este último, em seu leito de morte, revelou a um amigo sobre o tesouro e lhe deu o mapa. O amigo até tentou, mas ele não conhecia a região e o mapa confuso acabou fazendo-o desistir de caçar o tesouro. Quer procurar? Então aqui vão as coordenadas: o tesouro está numa ilha próxima a Katiu e Makemo. Na época era inabitada. Há uma forte ressaca sobre o recife. Não tem como ancorar ou entrar com uma embarcação no local. Foi a terceira ilha visitada por uma expedição de Tuanake. Há um cume de corais na parte oriental do recife. Tem uma passagem à esquerda do cume. Há uma lagoa em formato de pêra a 3 milhas da passagem com 7 blocos de corais próximos. Boa caçada!


A ilha do tesouro - literalmente falando! Bacuit Bay é uma ilha pertencente às Filipinas. Não teria nada de especial nela se não fosse uma história incrível que envolve um antigo general japonês chamado Tomoyuki Yamashita na década de 40. Roubando tesouros da Malásia, Índia, Tailândia e Burma, o japa conseguiu uma considerável fortuna avaliada em milhões na atual cotação. Com uma pequena equipe de soldados de confiança, Yamashita escondeu seu tesouro em 172 lugares (a maioria em cavernas) pela ilha. Ele só não imaginava que a segunda guerra iria acabar tão cedo. Foi capturado e condenado à forca. Em meados da década de 70, Rogério Roxas encontrou parte do tesouro, mas logo os olhos do governo Filipino cresceram e eles confiscaram cada moedinha. Roxas entrou numa batalha judicial e ganhou 22 milhões de dólares em juízo. O processo ainda está rolando, mas ainda há outras partes do tesouro para serem descobertas. Se habilita?

Tomoyuki Yamashita

OUTRAS OPÇÕES

-Mas Liuka, esses tesouros requerem equipamentos específicos e muito investimento. Não tem nenhuma opção mais “baratinha”?

Sim, meu (a) caro (a), tem opções muito mais viáveis e até divertidas! Você ainda terá que desembolsar alguma quantia de dinheiro, mas será bem menos com certeza!

Passeando e explorando – em Papua Nova Guiné há passeios turísticos que permitem que os turistas explorem e garimpem em certas regiões. A ilha ficou famosa depois que alguns mineiros relataram terem encontrado pepitas de ouro do tamanho de ovos de galinha no começo do século passado.


Jurássico para amadores – sempre quis escavar fósseis? Pois saiba que é possível e não precisa ter título de paleontólogo. No nordeste da Austrália, em Winton, há uma dos maiores sítios arqueológicos do mundo com fósseis diversos espalhados pelo solo. A organização Australian Age of Dinosaurs organiza as "Semanas de Descobrimento de Dinossauros" que ocorrem entre julho e setembro e levam amadores para escavarem fósseis da região. Se um dia for pra Austrália, não esqueça de passar por lá porque também tem um museu incrível!

Galera escavando os fósseis.


Geocaching – já ouviu falar em Geocaching? É uma divertida prática de caça ao tesouro que está se espalhando pelo mundo. Baicamente são grupos buscando tesouros que outras pessoas escondem e deixam pistas. Aqui você pode encontrar livros, fotos, moedas ou qualquer coisa que outra pessoa queira esconder e te dar de presente. Com um aparelho GPS ou um aplicativo para smartphones e algumas coordenadas e pistas, você pode sair procurando os tesouros numa brincadeira emocionante. Las Vegas é o maior polo de praticantes no mundo, mas há grupos presentes atualmente em 221 países. Só no Brasil há mais de 800 caches. Funciona da seguinte forma: alguém pega um tesouro e uma ficha/livro de registro, coloca numa “cache” devidamente identificada com um adesivo oficial ou uma plaquinha feita em casa e colada com durex mesmo (cache é uma caixa à prova d’água que pode variar de um potinho de filme fotográfico a uma caixa-cofre) e esconde. Em seguida, publica as coordenadas na internet e os caçadores tem que encontra-la. Assim que ela for localizada, o caçador registra na ficha/livro que encontrou e pode tirar ou adicionar itens (tesouros) na caixa. Muitos fotografam para provar que estiveram lá. Geralmente eles usam isso para trocar pequenas relíquias como moedas e brinquedos, mas já houveram casos em que haviam tesouros caros como aparelhos de MP3 e action figures originais. No jogo também podem haver charadas e quebra-cabeças para dificultar a caçada. O dono do cache ainda pode requisitar que o caçador se apresente em vários lugares para encontrar pistas de onde está o tesouro. O cache pode também ser disfarçado de pedra, tronco, cocô (aquele de borracha), planta, parafuso ou qualquer estrutura afim de aumentar o nível de dificuldade. É considerado por muitos um esporte divertido e que pode ser praticado por todas as idades.


E você leitor, sabe de algum tesouro incrível? Fale dele nos comentários!


SAIBA MAIS:
Geocaching oficial (em inglês): link
Geocaching no Brasil: link
Informações e equipamentos específicos para geocaching: link 
Semana de descobrimento de dinossauros do Australian Age of Dinosaurs (em inglês): link

Confira a parte 2.
Confira a parte 3.

Nenhum comentário:

Postar um comentário