smc

Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Star Wars VII é o pior filme do mundo


Eu sei, eu sei...

Esse título é meio incômodo, não é mesmo?

Ainda mais ultimamente em que as igrejas Marvel e DC tomaram o poder e todos procuram expressar suas opiniões se preocupando ao máximo em não conflitar ideias contrárias, times opostos, pontos fracos argumentativos e possíveis experiências de infância hiper-valorizadas.

Sabe-se lá porquê...

Mentira, eu sei sim. Tem a ver com exposição excessiva e zona de conforto. Mas não é sobre isso o post. É sobre Star Wars!

E foi uma bosta.

E você sabe o que nós desse site achamos do politicamente correto...

Gostamos de apunhá-lo no peito, olhando no fundo dos seus olhos sem sentir qualquer remorso por notar como são vazios.

Há três anos e dois meses atrás... 
Nesse planeta mesmo...


A DISNEY COMPROU STAR WARS! Em 2012, uma época em que os últimos games haviam sido fracos e as perspectivas pro futuro não eram muito fortes, com ninguém dando muita moral pro George Lucas dirigindo uma série de TV sobre os personagens secundários (que acabou nunca saindo). E é claro que eles não iam comprar pra não investir, então imediatamente anunciaram um sétimo filme para a série, depois sendo uma questão de pouco tempo para começarem a publicar novas HQs e games (o último game Battlefront estreou há pouco tempo, não cheguei a conferir).


A Internet foi abaixo com algumas das piadas mais memoráveis que já vi, um monte de memes, como o da Leia ter se tornado uma Princesa Disney. Mas também haviam previsões bem negativas, eu fui contrário desde o início. Levando em consideração que os últimos produtos da série já não eram interessantes há uns bons anos, eu acreditava em um renascer da série no meio da cultura moderna, já que a Disney sempre fez excelentes animações, séries de TV consideráveis e a trilogia do "Piratas do Caribe"; minha série cinematográfica de aventura preferida do séc. XXI. Ou seja, gritar contra a Disney me parecia puro pessimismo e hateragem, ainda mais que os filmes da Marvel só envolviam o Nick Fury tentando contatar o Hulk e o Homem de Ferro por causa da aquisição que eles fizeram em 2009. Lembrando que em 2012 tinha saído "Os Vingadores" e não as sequências auto-desafiadoras de Thor e Homem de Ferro... Minha opinião tinha uma base boa...

Isso não existia antes da Disney e ninguém pode negar.

Ao sair dos trailers, agora em 2015, todo mundo acabou dando o braço a torcer e ficando curioso, mesmo não havendo necessidade de uma sequência para "O Retorno de Jedi", parecia muito interessante um novo filme trazendo de volta atores antigos encarnando Han Solo, Luke, Leia e cia. Quanto a experiência geral... com isso me refiro ao multimídia... A vida toda aconteceu umas 2x de eu comprar uns gibis do Star Wars (que eram publicados pela Dark Horse) e pra guardar dinheiro, e unicamente pra guardar dinheiro, eu parava de comprar. Aí... MESES depois quando tinha tempo eu lia com calma e... Nooooossa se arrependimento matasse! Passava anos procurando toda oportunidade que desse pra comprar os que faltassem, era muito bom! Não sendo raro eu ler mais de uma vez. Aliás, no final de outubro fui em uma Comic-Con na minha cidade e comprei um monte que eu não tinha e tava lá pela metade do preço, não parei pra ler até agora, mas pra você ver como o arrependimento é real.


Ano passado mesmo, quando teve a primeira Comic-Con XP em São Paulo, eu fui com um amigo meu e a única coisa que eu comprei foram duas HQs novas do Star Wars pela Marvel pra já evitar esse futuro arrependimento. Quando deu pra ler... nossa... eu seria capaz de cometer um assalto pra recuperar o meu dinheiro. Nem consegui ler tudo. Dei pro meu irmão, mesmo resultado. Claro que estão sendo lan$ada$ vária$ ao me$mo tempo, então não posso afirmar que é tudo ruim, mas a minha primeira impressão foi terrível pra quem curtia tanto as publicações mais antigas da Dark Horse. Conheço pessoas que estão falando bem... que há nomes de peso da Marvel envolvidos... Mas ninguém me convenceu não, quando chamam o Brian Michael Bendis (Marvel) ou o Brian Azzarello (DC) pra fazer um trabalho comercial sai uma porcaria, sendo indiferente eles se tratarem de grandes artistas. E aí o Alex Ross ainda faz a capa! Tem umas tramas com os personagens antigões que pareceram não adicionar nada e umas que recontam séries antigas que eles tinham, como "Dark Times". Eu curtia bastante Dark Times, li essa versão nova e também não consegui terminar, me pareceu que tavam contando de novo, mas... pior. Bem... agora vamos finalmente falar do filme.




O DESPERTAR DA FORÇA!


Primeiramente (e pra eu não esquecer, porque a coisa vai ficar feia), gostaria de parabenizar J.J. Abrams e todos os envolvidos por ter vazado spoiler nenhum na Internet, nessa época chata em que você não só sabe o que vai acontecer no próximo filme de super-heróis, como nos dois outros que virão em seguida. Não que Abrams e os envolvidos vão ler o que eu escrevi... Mas prossigamos!

A estória(?)


Como não houveram spoilers, vou contar algumas coisinhas que não estão na sinopse, mas são reveladas logo nos primeiros 10 minutos de filme, não estragando nenhuma surpresa (inclusive porque não há qualquer surpresa que dê pra eu estragar, então não se preocupe, de verdade). O lendário Luke Skywalker sumiu legal após a ascensão de Kylo Ren, um novo sith aliado à Primeira Ordem, meio que um renascimento do velho Império Galáctico. Ren seria como o novo Darth Vader, ele mesmo já dizia no trailer "Vou terminar o que você começou" olhando o capacete do velho sith. A Primeira Ordem têm meio que uma nova versão de tudo que o Império tinha nos filmes antigos. A Leia agora lidera uma nova versão das tropas rebeldes, a "Resistência", e decidiu que era preciso reencontrar o seu irmão desaparecido, sendo disso que se trata o enredo principal.

É meio familiar e tal, de forma geral ele é quase um repeteco de muito do que rolava nos filmes antigos, me lembrou aquela porcaria de "Superman: O Retorno"(2006). Mas bem, como não rola muita coisa na estória, vamos falar dos personagens que sempre foram um dos maiores destaques da série.


Há uma porrada de personagens novos, e eles chamaram bastante atenção já que no primeiro trailer eles é que eram o destaque e não os personagens antigos. E como eles não eram do Universo Expandido (quadrinhos, games, livros e séries) todos os fãs antigos tinham a mesma reação depois de ver o trailer; "Ué, quem é o negão?"/"Ué, quem era a mina?" E aproveitando que estamos falando de negão e mina, vale relembrar um xucu xucu que tava tendo na Internet há uns meses atrás, mas eu acabei escrevendo nada sobre. Parece que tinha um grupo de pessoas que achava muito bonito haver um negro e uma mulher protagonizando o filme, pois nos outros eles eram supostamente desvalorizados. Havia um outro grupo de racistas-machistas-homofóbicos que diziam ser ofensivo uma mulher e um negro protagonizarem o filme.

E esse personagem! Ele não é-- Droga, ele é verde.

Bem, eu não acho que um filme protagonizado por alienígenas seja ideal pra discutir a diversidade racial dos seres humanos, mas beleza, vamos lá.  A Princesa Leia era uma senhora protagonista, sendo não só importante na trama, mas tendo relações profundas com os outros personagens e fugindo do estereótipo de princesa décadas antes de surgir a Fiona do Shrek. Quanto a ela ser a única, bem... Eu não lembro qual foi a última cultura em que mulheres eram relevantes no campo de guerra. Aliás, elas ocupavam as funções dos homens que tinham partido em lugares como fábricas (além de manterem as funções domésticas que já tinham) trabalhando em dobro para tentar manter tudo o mais próximo possível de como era antes. Com isso acho que seria meio nada a ver um filme chamado guerra nas estrelas ter um monte de mulher correndo pra cima e pra baixo.


E que eu me lembre um dos personagens mais legais era o Mace Windu, vivido por um dos atores mais legais de sua época, o Samuel L. Jackson. Ou seja, se é pra trocar UMA mulher e UM negro por outra mulher e outro negro... isso é babaquice. Mas só se for essa a intenção mesmo, porque não me incomoda nada ter uma mulher e um negro protagonizando o filme, só não queria deixar de falar disso já que pareceu ser uma questão importante da produção.

Agora...

Quem é o negão?


O chamam de Finn e ele não estava disfarçado de stormtrooper no trailer; o cara realmente é um soldado da Primeira Ordem, mas acaba passando pro grupo de heróis. Isso é uma grande novidade e que causa até estranhamento ao início do filme, já que os soldadinhos na série sempre foram o mais genérico possíveis, ver um deles tomando uma escolha e um papel diferente é bem interessante. Quer dizer, seria bem interessante. Indo direto ao ponto, o estilo do Finn de soldado que critica e repensa as suas ordens não convence em qualquer momento. Foi simplesmente mal trabalhado, muitíssimo mal trabalhado. Ele não parece quem diz ser em momento algum. Só isso. Deva-se à trama particular fraca, interpretação ou senso de humor sem pé nem cabeça ao estilo dos filmes Marvel... não convence. O garoto vem como novo herói importante na série.

Nick Fury mandou um abraço.

Quem é a mina?


Esta se chama Rey e é uma maloqueira do deserto ao mesmo estilo que conhecemos Luke e Anakin Skywalker. Por puríssima coincidência ela entra na aventura, mas é uma mulher de atitude e independente, se mostrando mais segura de sua própria competência do que o Finn, que era um bundão soldado. Estaria tudo bem, se... ela não decaísse junto com todo o filme, já que ela é justamente um dos personagens chave que leva a essa decadência. Digamos que ela se revela "incrível simplesmente porque é incrível", e eu não ligo se é homem ou mulher, qualquer personagem assim é uma merda pra mim. Ainda mais quando é um personagem novo cujo qual você ainda não pegou qualquer carisma e vem pagar de "mais incrível que todos, porque gente, ela simplesmente é incrível!"

Princesa Leia mandou um abraço.

E a Mara Jade mandou um tiro.

E quem é a bolinha?


É o B-88, o novo dróide. É engraçado como os dróides costumavam ser nos outros filmes. Normal.

E quem é Kylo Ren?


Conheça o pior vilão do milênio. Direto da série que trouxe a vocês o vilão mais famoso da cultura pop, agora trazem a nós Kylo Ren: um sith que não dá medo, sem qualquer carisma, visual estiloso, habilidade de combate marcante, surpreendente ou original, boa estória ou poder. A espada dele é diferente, mas... bem... acho que ninguém pulou da cadeira quando viu essas pontinhas ae do lado. Suas características se assemelham ao que passamos a chamar de "emo" na década passada... Quando parecia que os emos tinham morrido no entretenimento... Eis que chega Kylo Ren. Kylo Ren, o vilão que não solta raios, não dá um chute, não dá um pulo e não consegue sequer enforcar uma pessoa com a força. Não se iluda acreditando que o filme guarda alguma surpresa sobre Kylo Ren... Ele não guarda! O personagem ainda vem com toda uma pinta de quem vai ser o novo Darth Vader.

Jar Jar Binks mandou um abraço e falou uma coisa estranha que eu não entendi.

O desenvolvimento


O filme começa com aquela premissa que eu contei acima e com boas doses de ação, mas a trama revela nada que seja muito interessante ou inesperado, mesmo ninguém tendo ir ver o filme com spoilers. Você acompanha; não é um filme mal-feito, não é mal-dirigido. J.J. Abrams não fez um trabalho ruim na cadeira de direção. O roteiro que é uma porcaria mesmo, com uma problemática que não anda, absolutamente nenhuma surpresa. Até quando os personagens antigos aparecem já é esperado, com exceção do C-3PO. Nem sequer há frases ou diálogos marcantes. Quando se aproxima do clímax, há mudanças terríveis, relacionadas tanto à falta de surpresas quanto a doutrinação de enfiar esses personagens novos nada a ver como pilares do que se tornará a série. Simplesmente não fica bem e marca a passagem de um filme "que não tá dando em nada" pra um filme "que tá ficando ridículo". Repito, não criticarei o J.J. em momento algum porque ele fez um bom trabalho de direção. O lamentável mesmo é o roteiro.

Mas ainda assim, Sam Mendes (007 Contra a Spectre) e George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria) mandaram um abraço.

E tendo um roteiro ruim... O que sobra? É uma série de mais de 30 anos, então sobra o fan-service! Os personagens antigos.


Os únicos que não deram as caras foram os que morreram e o Lando 'negro' Calrissian. De resto foram todos trazidos de volta... Uma boa parte atores que estavam inativos no mundo do cinema.

Han Solo


Com cabelos brancos Harrison Ford volta ao papel. É um personagem muito legal e que não víamos há muito tempo. A experiência é divertida, ele ainda atira, pilota a Millenium Falcon e tenta ser malandrão. Na real, ele não mudou nada, nem na personalidade. É meio estranho, porque faz tanto tempo... A única característica da passagem é a cabeleira de prata mesmo. Mas um lado bom é que Solo não fez um tipo de participação especial, ele é um dos personagens principais e aparece por bastante tempo. O esquisito é que para uma série que mostrou mudanças de personagens por SEIS filmes, ver um dos principais ficar velho e mudar praticamente nada é meio decepcionante. Até o 007 que é sempre igual tem mudado nos últimos filmes, falando que ele tá pra aposentar e tal, já não mira direito como antigamente... O velho Solo parece ter mudado nada.

Rocky Balboa mandou um abraço.

Já o Chewbacca continua legal como sempre foi. Não é mencionado em qualquer momento alguma mudança que tenha acontecido com o personagem nas décadas que se passaram. Podia até ser interessante falar o que tinha rolado com os wookies que sobraram após a derrota do Império e o papel do Chewbacca nisso tudo, mas ele fica como personagem secundário mesmo. Por alguma razão, na maior parte das cenas de ação outro personagem pega a arma dele pra usar. Achei que iam soltar alguma coisa sobre ele estar velho e não ser o mesmo aventureiro de antes, mas mencionam nada do tipo. No final das contas pareceu que pegarem a arma dele só serviu pras piadinhas esquisitas que não adicionavam nada tampouco eram engraçadas.

Luke Skywalker


Luke Skywalker mandou um abraço.

Princesa Leia


Essa mudou. Agora ela não é mais princesa, mas sim general... ou comandante... não lembro direito, acho que é general que chamam ela, algo do gênero. Há uma explicação para ela e o Han Solo terem voltado a fazer exatamente o que faziam na outra trilogia há décadas atrás. É nada demais, mas pelo menos é uma explicação. Agora... POR QUE A LEIA NÃO É JEDI??? Eles mencionam que o Luke se dedicou a treinar novos jedis reunindo aprendizes.. Mas não a Leia! Isso já nem é desperdício das ideias do Universo Expandido, isso já chega ao cúmulo de ir contra o que havia ficado claro no próprio filme clássico, que não precisava de uma continuação, mas os próprios personagens principais (Luke, Vader e o Imperador) discutiam como Leia também possuía a Força. Com o Luke vencendo, ele viria a treinar a sua irmã gêmea. E não tem nem como eles revelarem que ela se tornou jedi em outro filme, já não condiziria com um monte de coisa que aconteceu (ou deixou de acontecer) nesse. Parabéns... deixaram de desenvolver direito a principal personagem feminina da série toda.

Aliás... Quase que a única personagem feminina. Não ficou parecendo uma aventureira/guerreira, tava mais pra algo do gênero da M, aquela velhinha de cabelo branco dos filmes do James Bond.

O que dizer então da Mara Jade??????????? Assassina (ruiva!) do Imperador que se tornava companheira romântica do Luke??????? Ela nem existe nesse filme! Era uma das personagens mais importantes do que rolava no Universo Expandido!

Agora vamos ao que já me disseram pessoalmente e é improvável que não comentem em algum momento.





- Mas Douglas! Eles cancelaram o Universo Expandido!

Eu sei... Eu sei muito bem. Mas sabe o Capitão América? Então, o Capitão América não fala aquele bagulho de referência? Eu me referia às referências!


Você já deve ter visto aquele primeiro filme do Homem-Aranha contra o Duende Verde, né? O do Sam Raimi. O Duende por acaso mata a Gwen Stacy? Não, a mina nem existia no filme, a única namorada do Peter lá é a Mary Jane, o que faz sentido já que é um filme só e ela é a namorada mais popular do personagem. Mas ainda assiiiiiiiiiiiiim, ele leva ela lá pra cima da ponte e rola a referência à estória mais famosa onde os dois antagonistas se enfrentam. Levando em consideração todo o Universo Expandido bem feito com autores premiados, eu esperava no mínimo uma referência. Mas mano! A Mara Jade nem existe!!!

O Boba Fett não retorna!

A Leia não vira jedi!

Não rola porcaria nenhuma!

Eu entendi que cancelaram o UE! Mas pra quê se é pra substituir por algo repetitivo e que nem tenta se equiparar??? A trama é ruim e as discussões meio espirituais sobre a Força que eram legais chegam a rolar em uma cena só, mas... adivinha? Adivinha? Não convence. Aquele lance de bem e mal que eles faziam como só eles não fica muito bem aplicado já que justamente os heróis e o vilão (e todo mundo) são no mínimo fracos. As lutas conseguem ser piores do que as dos últimos filmes, algo que eu achava impossível de rolar. O "Mad Max: Estrada da Fúria" pode ter uma estória mais fraca que os últimos, mas poxa... você entende aonde eles compensaram. Mas meu! Sem ação e sem estória da hora..................?


Eu sei que é complicado falar que um Star Wars foi péssimo e sair andando, só por isso escrevi tanto. Sinceramente, se fosse qualquer outro filme eu tinha feito no máximo dois parágrafos falando que era tudo ruim e pronto. Isso se tivesse me dado ao trabalho de resenhar um filme morto que nem esse. Porque na verdade é muito simples!

O vilão é uma merda.

O herói é uma merda.

A heroína é uma merda.

Os fan-services e presença dos personagens antigos é uma merda.

A trama é uma merda.

Tem o pior final que eu jamais vi.

As lutas são uma merda?

Conclusão: Merda + Merda = Um filme legal até? Não, cara... Não.

Nota: 1,5







A resenha é até aí. Tenho mais coisa pra escrever, talvez eu atualize o post depois, mas essa é a resenha. O resto vai ser só encheção de saco, observações a parte do filme, previsões pro futuro e afins; ou seja, extra. Quando eu fizer, atualizo nesse post mesmo.

Um abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário