.

Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de março de 2015

INJUSTIÇA: CONSTANTINE ENTRE NÓS: ANO III

 

Se você como eu, se empolgou com as batalhas sangrentas do universo DC a comando do Super-Homem em sua retribuição a impunidade de Ano I, ficou ainda mais instigado com a intervenção dos Lanternas Verdes, levando a uma das mais brutais batalhas dos quadrinhos, saiba agora, o quanto conseguiram deliberadamente, transformar uma das séries mais lidas da DC dos últimos anos (até mesmo por quem diz detestar a DC) em uma história rasa do Constantine, que te faz de bobo, além de banalizar com pílulas em lutas sem sentido, todo conflito ideológico do Super-Homem com o Batman. Para não dizer que a série foi de toda ruim, vamos ser otimistas e dizer que o fim dela realmente foi quando o Tom Taylor saiu dos roteiros na edição #14. Mas vamos lá...



Ano II terminou com o gancho do Super-Homem agora possuir o anel amarelo, tendo em seu lado pesos pesados como Hal Jordan (atualmente Lanterna... Amarelo), Sinestro e posteriormente o quase invencível “Espectro”. Paralelo a isso, um grande (se não o maior) personagem da Vertigo, o Sr. Constantine, caminha vendo a destruição da luta contra os Lanternas, com suas “análises” em recordatórios, John vai servindo de novo protagonista em toda a história. O problema é a natureza do personagem que não casa muito bem com toda a proposta, seria como pegar o Justiceiro do selo Max roteirizado pelo Garth Ennis e colocar numa megasaga lutando ao lado do Quarteto Fantástico, é o tipo de coisa que fica um tanto deslocada. John já chega como o dono do pedaço, perto dele o Batman é só um fantasiado qualquer sem ter muitos planos “um homem adulto brincando de se esconder nas sombras”, o que faz com que Constantine tenha todas suas ideias aceitas, tornando “JC” o maior opositor do Super-Homem.


 “Ah, tem que dar espaço para mais personagens, não é só ficar com o Batman não”. Concordo plenamente, tanto que em Ano I a divisão de espaço entre as vozes dos times era bem melhor elaborada, Flash era um contraponto com possuidor de um raciocínio que acompanhava a velocidade revolucionária de Kal-El, Damian Wayne contestava os métodos manipuladores do pai, Aquaman era uma ameaça a todo o império, Lex Luthor tinha vários planos... Tudo se foi. Fica a sensação de falta de vontade em criar, apenas indo acrescentando mais personagens futuramente “jogáveis” e fim da história. Decisão editorial? Mudança de time do Tom Taylor? (que a propósito, está fazendo um Homem de Ferro muito bem inscrito na Marvel atualmente) fica ao leitor mais detalhista ao menos se contentar com referências ao nocaute de uma página que Guy Gardner sofre pelo Batman, ou as respeitosas menções ao “Reino do Amanhã” e “Para o Homem que Tem Tudo”. 


A ideia final que Taylor passa, é a realista ( e incômoda para alguns) possibilidade de que de uma forma ou outra, um dia o Super-Homem se posicionaria de forma incisiva perante a humanidade, ou mesmo seus descendentes, no caso, fica a suposição de sua filha (Alguém ai falou em Cavaleiro das Trevas 2?). Mesmo que apressadamente, Injustiça colocou de maneira criativa, a corresponsabilidade da sociedade super-heroíca com a vilania, mostrando tranquilamente que enquanto vilões sobreviverem, eles naturalmente corromperam heróis, ao passo que esses, quase nunca redimiram alguns. Infelizmente.


Ops, quis dizer na verdade isso:






domingo, 29 de março de 2015

SÓ PARA LEMBRAR QUEM É FODA


“...Sou foda
Melhor que muito macho
Eu sou o teu carrasco
Sou o melhor no que faço
Eu, eu sou sinistro
Eu mato o inimigo
Desarmado eu saiu vivo
Ninguém meche comigo
Eu sou matador
Tá lá na minha estante o troféu de comandante
Já até fui almirante
Mas, mas não se esqueça
Eu mato todo mundo!
Bicho escroto
Zumbizada
Colorido

E vagabundo...”


sexta-feira, 27 de março de 2015

20 SONS IMERSIVOS VOL. 2


Em Boy Hood, o personagem vivido por Ethan Hawk (ao qual não lembro o nome) deu ao filho uma seleção de sons dos Beetles cujas letras completavam umas as outras e levava a quem escuta para uma viagem reflexiva. É claro que quase ninguém tenha a mesma referente viagem que eu, o ANT ou o Joker tiveram com esses sons, mas estou só – como em uma porrada de coisas na vida – tentando. Da minha parte coloquei sons que remetem a violência, dor, solidão de forma marcante e artística, sendo uma reforma na marcha de Ludivig Van artefinalizando nossa psicopatia inconsciente ao tecno de Mortal Kombat com sua violência 8 bits...
Some isso ao autoconhecimento de “Confortably Number" de Pink Floyd, o final resumido do que acreditamos ser amor pela letra de Chico Buarque, e os castelos reais e de cartas que enfrentamos na vida pelas canções de Hendrix ou Engenheiros.
Gostei mais do resultado dessa capa do que da outra, e se tudo der certo, vou lançar doze volumes desses “CDs”, cada qual com uma capa de Watchmen, um tributo ínfimo a maior história que já presenciei nessa vida, embora o criador dela se um dia soube-se da existência desse trabalho, apenas desse uma cuspida no nome “Ozymandias Realista”.


Nota: A canção 17 (Confortably Number) foi escrita errada. Só vi o erro após terminar de criar o verso da capa, e claro, não voltei todo o trabalho por causa de três letras.

Comfortably Number – PINK FLOYD

Hello
Is there anybody in there?
Just nod if you can hear me
Is there anyone at home?

Come on now
I hear you're feeling down
Well, I can ease your pain
And get you on your feet again

Relax
I'll need some information first
Just the basic facts
Can you show me where it hurts

There is no pain, you are receding
A distant ship's smoke on the horizon
You are only coming through in waves
Your lips move but I can't hear what you're saying
When I was a child I had a fever
My hands felt just like two balloons

Now I've got that feeling once again
I can't explain, you would not understand
This is not how I am
I have become comfortably numb

I have become comfortably numb

Ok
Just a little pin prick
There'll be no more
Ah!
But you might feel a little sick
Can you stand up?
I do believe it's working, good
That'll keep you going, through the show
Come on it's time to go.

There is no pain you are receding
A distant ship's smoke on the horizon
You are only coming through in waves
Your lips move, but I can't hear what you're saying
When I was a child
I caught a fleeting glimpse
Out of the corner of my eye
I turned to look but it was gone
I cannot put my finger on it now
The child is grown
The dream is gone
And I have become
Comfortably numb

Confortavelmente Entorpecido -- PINK FLOYD

Olá
Tem alguém aí?
Apenas acene se puder me ouvir
Tem alguém em casa?

Vamos lá
Ouvi dizer que você está se sentindo para baixo
Bem, eu posso diminuir sua dor
E te deixar de pé de novo

Relaxe
Eu preciso de algumas informações primeiro
Apenas coisas básicas
Você pode mostrar onde dói?

Não há dor, você está desaparecendo
Como a fumaça de um navio distante no horizonte
Sinto você apenas em ondas
Seus lábios se movem mas não consigo ouvir o que diz
Quando eu era criança eu tive uma febre
Minhas mãos pareciam dois balões

Agora eu tenho essa sensação mais uma vez
Eu não posso explicar, você não entenderia
Não é assim que eu sou
Eu me sinto confortavelmente entorpecido

Eu me sinto confortavelmente entorpecido

Ok
Só uma pequena picada de agulha
Não haverá mais
Ah!
Mas você pode sentir um mal estar
Você pode se levantar?
Eu acredito que esteja funcionando, ótimo
Isso manterá você de pé durante o show
Vamos, você tem que ir

Não há dor, você está desaparecendo
Como a fumaça de um navio distante no horizonte
Sinto você apenas em ondas
Seus lábios se movem mas não consigo ouvir o que diz
Quando eu era criança
Tive uma visão fugaz
Pelo canto do olho
Eu virei para olhar mas tinha sumido
Eu não consigo alcançá-la agora
A criança cresceu
O sonho se foi
E eu me sinto
Confortavelmente entorpecido.

 

FORÇA E HONRA.

quinta-feira, 26 de março de 2015

ANUBIS_NECROMANCER


Não sei há quantos anos funcionam o “Baile dos Enxutos”, como se formaram, só tenho duas certezas quando acesso lá: Os caras entendem realmente sobre HQs e são os “reis da zueira”. É quase impossível não rir das piadinhas que eles fazem nos reviews das coisas, ou qualquer notícia que dão. Eu estava por lá quando li sobre o filme do Roxette Rock VII, e nos comentários, um cara lá chamado Anubis_Necromancer mandou essa:



   Esse post é só para agradecer pelas palavras. Se ver isso um dia,    obrigado.

sexta-feira, 20 de março de 2015

10 PENSAMENTOS E ATITUDES DO BRASILEIRO NO TRABALHO




Se você lendo isso, é o tipo de pessoa que tenta ser realista com a vida, se autocrítica ao invés de se achar tão puro e certo como Deus, é disciplinada, se preocupa com um milímetro a mais do que si mesmo, além de tentar, mesmo que levando porrada sempre, promover um pouco de mudança ao seu redor, esse é não é um texto sobre você, mas sobre a maioria que te esmaga para ser assim. Eu acredito nesse país, acredito nas nossas crianças, acredito em gente lá fora lutando de verdade enquanto eu fico digitando isso.


1.   Em Terra de falta de serviço, Whats App é rei.


2.   Fazer o próprio trabalho é coisa de otário, um brasileiro esperto tem que se juntar com os demais e sobrecarregar o novato, para que normalmente um dia esse novato passe adiante isso em cima de outro novato.



3.   Trabalho não é local de trabalhar, quem vai pro trabalho para trabalhar são os estranhos ou anti-sociais, trabalho é local de socializar, discutir na rodinha como terminou a novela, porque o Flamengo perdeu no jogo de Quarta ou como foram as festas do fim de semana.


4.   Quem faz o serviço de uma maneira ágil e eficiente deve ser “puxa-saco”. Porque a lógica é “se eu sou preguiçoso e não corro atrás do que eu quero, quem é o meu oposto deve ser meu inimigo e quer me ofuscar.


5.   Em empresas, tudo é “preto e branco”, de um lado estão os patrões opressores e podres de rico, e do outro estão os pobres trabalhadores que não podem nem burlar quase todas as horas do serviço sem ser interrompido por algum chefe ou alguém que trabalhe de verdade.



6.   Os sindicatos são os grandes defensores dos direitos dos “trabalhadores”, todo sindicalista é um herói nacional dedicado a combater a burguesia, sempre lutar pelos justos... (Até virar presidente um dia, OU ter qualquer mínimo acréscimo de poder--).



7.   É só ganhar duas funções quando geralmente não tinha uma inteira, e o nosso “tradicional trabalhador brasileiro” se sente assoberbado por tarefas. É ai que entra o pedido aos prantos para os chefes por mais estagiários.


8.   Quando se tiver um problema com alguém, são pecados mortais guardar mágoa ou ir até esse alguém e comunicar o problema (conflitar alguém é sinônimo de ser valentão), é bem mais digno ficar pelos cantos falando pelas costas.


9.   Uma vez (dizem) Bill Gates disse: “Eu sempre escolho uma pessoa preguiçosa para fazer um trabalho difícil, porque ela vai encontrar uma forma fácil de fazê-lo”, dizer coisas assim é fácil, queria ver o Sr. Gates aqui no Brasil, e ao invés de delegar, trabalhando junto de gente assim.
 


10.  A frase que mais usa no trabalho é: “Alguém tem que fazer algo sobre isso. E eu que não vou ser.”

quarta-feira, 18 de março de 2015

Citação: Machado de Assis


“Deus, para a felicidade do homem, inventou a fé e o amor. O diabo, invejoso, fez o homem confundir fé com religião e amor com casamento.”


Machado de Assis

segunda-feira, 16 de março de 2015

PERSPECTIVA DE QUEM EMPRESTO #02: Deadpool Vol. 4





Nesta pequena parte de uma série do mercenário tagarela, em que Deadpool é encontrado pela I.M.A para ir até a Terra Selvagem para encontrar e pegar uma arma. Ao chegar nesta ilha, Dead e Dr.Betty (uma agente da I.M.A que ajuda Deadpool a encontrar a tal arma) são capturados pelos nativos e lá encontram a tal arma, que no final das contas é uma cabeça zumbi dele mesmo de um universo alternativo.
Após derrotarem os agentes, eles encontram agora agentes da Hydra atrás da cabeça, após várias lutas, Dead e Dr. Betty roubam uma nave da Hydra e fogem para a Terra Selvagem, para depois irem para a base espacial da I.M.A, onde Dead descobre que usaram a cabeça como uma arma biológica, que iriam transformar todo mundo em zumbis. Então Deadpool, Bill (uma cara que pilotou a base de fuga deles da base da I.M.A)e Dr. Betty unem-se para levar a cabeça de Deadpool para a sua respectiva dimensão.
Deadpool, Bill, Dr. Betty vão para o pântano em algum lugar nos EUA e deparam-se com o Homem-Coisa (que os ataca), além de atacar agentes da Hydra. Após certo tempo de caminhada, Dead acha o portal para a outra dimensão e entra nela indo parar em diversas dimensões, uma até onde ele é Capitão militar, outra é no Velho Oeste, onde confundem Deadpool com o Kid Deadpool, que era um bandido muito perigoso na época. Em outra versão ele encontra Lady Deadpool, ou seja: (???) uma versão feminina de Deadpool que luta com rebeldes (não se sabe o motivo, mas acha-se que é pela Dilma ter tirado a internet);
Ao sair dessa dimensão, Deadpool e Lady Deadpool se despedem com um beijo (que lindo, tirando todas as cicatrizes, é claro). Quando saem da dimensão de Lady Deadpool, sua cabeça versão zumbi volta com ele para a dimensão em que tudo começou. Assim que eles voltaram, Betty disse que só se passaram dez segundos! Após isso o Mago Supremo aparece e diz que o multiverso está em perigo, e já que Dead dessa vez está sendo um herói, o mago resolveu ajudá-lo abrindo um portal para a dimensão zumbi, onde dessa vez os quatro: Deadpool, sua cabeça zumbi, Bill e Betty (e o Faustão, só que não), enfim sua galera entram e vão fugindo de zumbis aqui e ali, até encontrarem humanos que fazem a resistência e ficarem lá nesse abrigo por uma semana. Depois dessa semana, Deadpool resolve ajudar capturando um zumbi vivo para fazerem um antídoto (porém sempre tem um porém: só funciona se você for infectado a usar o antídoto antes que acabe a primeira hora).
Por isso eles resolvem ir para a ponte onde o portal funciona, após o portal abrir, são atacados pelo Homem-Coisa e encontram o Deadpool zumbi (pois o espaço-tempo foi danificado). Após derrotarem o Deadpool Zumbi, aparece o Mago Supremo Zumbi que também é... Derrotado.  Então eles colocam a cabeça zumbi sobre o corpo antigo dela, onde este se recupera e entra no portal, só que perdendo o resto do corpo. Após tudo a galera do Deadpool consegue voltar as suas dimensões, menos Deadpool, pois ele de lá foi teletransportado para a dimensão do Vigia, que diz a ele que o multiverso está sendo ameaçado e que o único que pode salvar (?????) é Deadpool! Assim acaba nosso resumo sobre essa série, e se gostou fique ligado no nosso blog, o Ozymandias Realista.

(Floyd, se tiver partes de resenha você não gostou, pode tirá-las. Por favor me corrija se tiver nomes errados.)

Fabiano Nasiazeno 8° D / 13 anos.

A Panini lançou há uns anos atrás, uma mensal do Deadpool que tinha duas histórias em cada publicação. Ela chegou a publicar quase 20 números, quase todas com as capas variantes que referenciavam filmes. Comprei tudo de uma vez há um cara na minha cidade, só que nunca parei para ler. O Fabiano (que costumo chamar de Fabrício) começou pegando emprestado um encadernado do Thanos escrito pelo Jason Aaron (A Ascensão de Thanos), e logo que terminou de ler, emprestei um dos Guardiões. Mas havia um personagem que ele sempre mencionava, e que quando eu tinha a idade dele, quase ninguém conhecia: Deadpool. 

É impressionante, porque vejo crianças fãs do Deadpool, e citando coisas como ele ter matado o universo Marvel ou mesmo ter sido amaldiçoado pelo Thanos por ter pego a Morte. Na idade desses meninos eu só queria saber do Aranha e pronto, com paciência eu procurava alguma dos X-Men ou Quarteto (que de preferência aparece-se o Homem-Aranha), quem diria que aquele personagem obscuro que eu era fã e tinha conhecido na Marvel 99 (imagem da edição ao lado) iria hoje ter os quadrinhos mais conhecidos do que o Homem de Ferro, ou Vingadores, depois do efeito dos filmes de ambos. Cada vez mais fica claro o por quê a Marvel Studius se sente ameaçada pela Fox, os caras sabendo administrar um personagem desses, podem transformar ele no Homem de Ferro deles em questão de lucro rapidinho...

O fato foi que resolvi ler algumas dessas histórias, pelo menos algumas impressas, até que não é tão ruim quanto eu imaginei, embora eu prefira mil vezes ainda o Deadpool do final dos anos 90. Esse lance de vozes falando com ele, a tirada do Fuinha e coisas assim deixou tudo meio vago e forçado. Resolvi deixar um Pack com o Vol. 4 completo, há um clique de distância, quase 1 GB de HQs, copilando 63 edições, que pretendo ler tudo em breve. Ah, e por que você perde o seu tempo botando esses meninos para escrever? Porque é legal, principalmente se escrever sobre o que se gosta. O que os professores de hoje em dia deviam tentar mais era isso, ao invés de empurrar livros como “A Culpa é das Estrelas” ou mandar escrever redações sobre “MMA ser um esporte ou violência liberada”, são temas interessantes, mas é preciso de vez em quando como ensinou John Keating, olhar sobre outra perspectiva. Abaixo os originais do texto, além do link para download.







sexta-feira, 13 de março de 2015

É MAIS DE 9000!



   Essa postagem é só para comemorar as primeiras 9000 visualizações que o blog teve, e isso depois de uns seis meses de existência, um número bem baixo de visualizações em termos comparativos com alguns parceiros daqui, como o Tia Nerd que conseguiu 100.000 visualizações em um ano, mas ainda assim um motivo para comemorar, afinal não deu tudo tão errado. A começar pelo fato de eu ter conseguido largar o Facebook, isso: me demiti dele desde começo de dezembro, antes do dia 10, já tinha caído fora. Por que nós entramos no Facebook para começo de conversa? Fazer amizades
   Divulgar nosso trabalho? Ou conseguir um pouco de atenção por algo que a gente faça? Longe de mim ser um total recluso, já que larguei uma rede social por outra, e de certa forma busco atenção aqui, a diferença foi que cheguei em um ponto que me perguntei: O que vale mais? Curtidas e conversas vagas? Ou discutir textos com outras pessoas, textos de ambos os lados.
   Nisso a plataforma blogger caiu como uma luva. Afinal, pouca gente na internet nos dias atuais busca algo para ler, todo mundo mergulhado em “o máximo de informações por segundo” que não lembra 10% do que viu com rapidez uma maratona de fotos, memes, “autoanálises”, comentários sobre o fim de semana... Assim como “trabalhar” com isso aqui, fez com que minha frequência de leitura e escrita fosse aprimorada.
   Melhorei meu trabalho em equipe –um pouco- e me fez, bem devagar, olhar para algo do zero e pensar: “Vou fazer isso crescer, vou estabelecer como meta conseguir tornar isso aqui um pouco conhecido, o que me levou a desenvolver da minha forma amadora e estranha um pouco de marketing, além do principal: Manter-me em um objetivo sem desistir logo no inicio, algo que eu não conseguia há alguns anos. Só queria agradecer principalmente aos parceiros, que tanto me ensinaram nesses meses. Abaixo segue a lista de todos eles por ordem de chegada:


  O lugar onde eu mais encontrei conteúdo sobre xadrez para download da maneira mais organizada possível. Tudo por categoria: Filme, softwares para visualizar partidas, emparceiradores, games, documentários, até mesmo relógios para colocar no computador.







   Co-criador do Ozymandias Realista, se não o próprio criador. Conheço o Sr. Azul há alguns anos, desde que só existia Msn e Orkut. Discuti com ele a possibilidade de fazermos um fanzine em PDF e CBR sobre quadrinhos, como a clássica (se não a melhor no urderground) Farrazine. Ele me disse sabiamente que o melhor seria um blog. Discutimos nomes, e sugeri: “Por que não Ozymandias Realista?”. Ele aceitou, inaugurou tudo com o texto “Inútil” (meu texto preferido dele) e me passou o login e senha. Fui editando e escrevendo também, e aqui estamos nós. Universo Particular é um blog que ele escreve há alguns anos, uma espécie de romance que ele vai colocando capítulos de meses em meses.


  Descobri o blog dele procurando para download um software que eu tinha, que converte PDF em CBR. Propus parceria e ele aceitou atenciosamente. O blog dele sempre está desenvolvendo temas políticos atuais, além de filmes e quadrinhos, tudo com uma perspectiva respeitosa e cristã.












   Stefes é o marido de uma velha amiga minha da internet. Tem o diferencial de aparecer pessoalmente em seu canal no You Tube, no qual fala de suas aquisições de quadrinhos, bem como de filmes assistidos. Seu blog segue a mesma linha, só que com reviews mais curtos dividindo cada material por pontos positivos e negativos.




   Um dos grandes postadores de quadrinhos para download da internet, com especialidade em lançamentos com as ultimas traduzidas, além de posts com diferentes títulos.



 
Outro blog com HQs para download, com o diferencial de ter muito material escaneado de publicações das décadas passadas, não se atendo a títulos separados. Um grande exemplo é que ele tem para download a coleção da Vertigo dos anos 90 que a Abril publicou.













  Não lembro como encontrei esse, mas é um dos parceiros com quem mais converso em posts, junto com o ANT. Já trabalha com blog há alguns anos, e mesmo assim recebeu um novato como eu tranquilamente para parceria. Seus textos geralmente são sobre Coringa ou Deadpool, além de Batman e Vingadores. Ah, sem falar do Alice Cooper e vários outros astros de Rock como Ozzy Osborn, isso quando o cara não faz fanfics muito loucas. Ou um manda um Papo Cabeça.



Essa menina é uma máquina. Acho que no tempo que eu demorei para escrever esse post, ela já deve ter publicado uns cinco no blog dela. E o diferencial é a qualidade que ela coloca em boa parte deles, trazendo dados científicos, bizarrices e curiosidades. Conheci ela através do post que ela fez do Turco.



Outro postador de quadrinhos, seus grandes atrativos são os títulos por ordem alfabética no canto direito da tela, além de zipar todos os arquivos, fazendo um arquivo só com 10 ou 20 edições por exemplo. Sem falar de ser atencioso e repor um link sempre que ele fica off. Há vários anos atrás, antes mesmo de eu saber o que era um blog, já visitava o ScanManiacs para baixar material para minha coleção virtual.










Esses caras são fodas. Todos eles. Descobri esse trabalho através de uma postagem no Facebook que o Vagner Francisco fez. Fui pego de cara por uma tirinha do ABC referenciando o álbum The Wall do Pink Floyd e não parei de ler eles. Comprei todos os fanzines que eles tinham lançado (4 edições até agora) e ainda ganhei uma arte do Tito Camello no envelope, pqp, qual fanzineiro que você conhece que tem esse tipo de atenção com o leitor?



Conhecido da página da Mundo dos Super-Heróis que eu frequentava, bem como comprava a revista todos os meses por mais de um ano, acho que desde Homem de Ferro 3 no cinema... O Fato é que o Sr. André é um grande conhecedor de quadrinhos bem como cultura em si, tanto que ele leciona História. Seus textos são objetivos, coesos e de predominância informativa. O blog dele foi feito acho que uns dois meses depois do meu, é o único novato como eu entre os parceiros.










Conhecido de alguns anos no A&C na parte dos comentários. O cara tem uma contacom bastante quadrinhos online no Issu. Além de ter um conhecimento gigantesco sobre quadrinhos eróticos e ser fã de música eletrônica.






“Saudações Anárquicas” é a frase dele mais usada, assim como o meu Força e Honra. A palavra “SAM” é uma abreviação para Super AventurasMarvel, grande publicação em formatinho da Abril, que trazia geralmente histórias do Hulk, Justiceiro, Demolidor Motoqueiro Fantasma, Quarteto Futuro e vários outros. Publicação que a gente lê pela nostalgia, como a luta do Demolidor contra o Justiceiro, a primeira delas que eu li. Além disso, bem como o ScanManiacs, a lista do cara de quadrinhos para download é extensa.








Outro blog de quadrinhos para download, só que com títulos “obscuros” como Sandman Teatro do Mistério (que é muito bom, recomendo). Ideal para quem quer sair da polarização Marvel V.S DC (porra, essa palavra só faz com que eu me lembre da Marina Silva). Design bem interessante, além de bom diálogo com os leitores.



Blog misto entre problemas enxadrísticos, matemáticos, loteria e muito Futebol. Acompanho só a parte do xadrez e matemática mesmo.
















 Eu me sinto uma criança escrevendo com quase nenhuma concordância verbal perto desse cara. Ele é o tipo de blogger, que mesmo escrevendo um texto sobre um filme que você não gosta, te faz olhar aquela obra com outra perspectiva. Um exemplo disso é a análise dele sobre “Advogadodo Diabo”.













Fanzineiro bem conhecido, e um cara bem simples. Ele criou o Homem-Camaleão e outros títulos em 2008. Era contato do Orkut, com quem eu sempre conversava sobre quadrinhos. O blog dele é para divulgação do quadrinho nacional, sempre é valido ver os posts dele, o ultimo que eu li foi uma entrevista com o Marcelo Salaza, outro que eu tinha como contato no Orkut.










Mais um fanzineiro, só que nos roteiros. Costumo chamar ele de Val, já que (apesar dele não admitir), ele o Val (seu personagem mais conhecido) são a mesma pessoa. Ele tinha um ótimo blog, o Plano B, mas acabou parando ele para iniciar uma conta no Tumbr postando quadrinhos para leitura online, apesar de ser uma boa iniciativa, gostava mais do Plano B.


Conheci através da Liuka. Posta mais sobre informática. Bastante. Dá para se aprender bons truques e recomendações com ele. Ta no time dos novatos, só que diferente de mim, o cara sabe editar o design do blog dele de uma maneira quase profissional. Enquanto eu ainda tô tentando alcançar simetria na minha datilográfica--











 Por fim, porém não menos importante, o ANT com o Megablog. Um blog sobre quadrinhos, filmes, games e opiniões sobre as bizarrices do cotidiano, como um que ri bastante sobre uma discussãodele no You Tube sobre a Ubisoft. Acho que de todos os parceiros, ele é parecido comigo em gostar de ler vários blogs e comentar bastante neles. Ainda nos vamos enfrentar no xadrez online.










Que venham mais 9000!



Força e honra!