segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Guerras Secretas Battleworld – Primeiras Impressões e Download Parte 1




A saga Guerra Secretas já passou da metade e continua mantendo um bom ritmo e qualidade. Seus títulos derivados também. Como sabemos pela saga principal, o Universo Marvel como conhecemos foi destruído e agora só existe um planeta criado com o que restou das outras realidades. Battleworld mostra o que acontece nesse novo planeta Marvel. Veja as primeiras impressões sobre alguns desses títulos.

(Para download, basta clicar nas capas, todos os links são em forma de packs do que saiu até agora do mencionado título -- Ozymandias R.)



Ghost Racers: Escrito por Felipe Smith e desenhado por Juan Gedeon. Assim como no antigo Império Romano existiam as arenas, em Battleworld existe o Coliseu da Morte, e um das atrações mais populares é a corrida dos Ghost Racers. Basicamente todas as versões dos “Motoqueiros” Fantasmas fazem parte da história – Johhny Blaze, Danny Ketch, Robbie Reyes, etc. A luta pelo primeiro lugar em cada corrida é ferrenha, afinal um mal terrível espera para os perdedores, o que faz com que todas as corridas sejam alucinantes.

Leitura recomendada.











Inumanos – Attilan Rising: Escrito por Charles Soule e desenhado por John Timms. Nessa história, Medusa é a rainha de Manhattan. Mas existe um grupo de rebeldes que surgiu em oposição ao governo de Destino. Eles são chamados de Voz Silenciosa e são liderados por Raio Negro. Cabe a rainha acabar com a rebelião. A história é interessante, com intrigas e espionagem. Nessa versão, Matt Murdock também é um inumano.


Leitura recomendada, mas deve melhorar.













Zumbis Marvel: Escrito por Simon Spurrier e desenhado por Kev Walker. Um dos domínios do Battleworld, o novo mundo da Marvel, são as Terras Mortas habitadas pelos zumbis. Os soldados do Escudo são incumbidos de deter essa horda para que eles não invadam outros domínios. A comandante Elsa Bloodstone que parece ser a personagem principal, acabou ficando caindo nas Terras Mortas depois de um ataque dos zumbis, e agora ela precisa lutar pela sobrevivência. Eu não havia gostado da série Marvel Zombies original, mas fiquei interessado nessa história para saber como será o destino da heroína principal.

Leitura altamente recomendada. Uma grata surpresa.






Mestre do Kung Fu: Escrito por Haden Blackman e desenhado por Dalibor Talajic. De tempos em tempos há um torneio chamado Treze Câmaras onde os competidores tem o direito de disputar a liderança do império de K’un Lun. Shang-Chi é o filho do atual imperador Zheng Zu. Mas desonra seu pai por passar o dia todo bebendo. Até que uma conspiração planeja matá-lo e ele precisa se envolver nas questões de seu pai e lutar pela sobrevivência nesse torneio. Uma das histórias que eu mais gostei de Battleworld até aqui. Me lembrou os filmes chineses antigos de kung fu.

Leitura altamente recomendada.









Ultimate End: Escrito por Brian Bendis e desenhado por Mark Bagley. Apesar de Destino ter criado essa nova realidade segundo sua vontade, Manhattan pode ser um problema, pois alguns heróis de duas dimensões diferentes – 616 e Ultimate – estão ocupando o mesmo tempo e espaço. E mais do que isso, eles estão tentando desfazer o dano causado por Destino, enquanto tentam conviver com suas diferenças e semelhanças. A dupla Bendis e Bagley fque criaram o primeiro título Ultimate, são os responsáveis por dar um encerramento a esse universo durante o desenrolar de Guerras Secretas. A história mantém um ritmo um pouco acelerado devido a própria situação urgente, mas também contém os bons diálogos típicos do Bendis.

Leitura recomendada, mas me parece haver a possibilidade de melhorar.




sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Aniversário de Jack Kirby


Com uma cameo do Stan Lee.

O ADULTO INTERPRETANDO


Poema que fiz há cerca de quatro anos, e encontrei hoje em um caderno caindo aos pedaços:

Aqui escrevo eu,
O diabo pessoal embriagado
De lucidez, para traçar
Linhas que paras os mais sensíveis
Serão sem sentido.
Tal como tempo depois
Essas mesmas linhas estarão sujeitas
A serem moldados por outros escritores
Mas não admitidas como são:
Linhas desprezadas e solitárias
Assim como a madrugada de hoje será
E a razão que só atua em nosso sono.

Eu poderia mencionar o quanto a natureza
Parece carecer de sócios
Os artigos, de palavras assimiláveis
E nossa infância, de liberdade.
Eu, diabo como sou
Declaro que se tu es adulto,
Já sabe que essa é condição que estamos aptos a
Violentar nossos próprios sonhos
Para realizar desejos
Um baile de máscaras...
Eis onde estamos como adultos
Cada rosto...
Cada rosto...
Só mais um código de interpretação individual
Ansiando frases e gestos que acrescentem
Alguma luminosidade
A tal insolente, vil, e traiçoeiro
Microrganismo que somos enquanto lutamos
Para fazer parte de algum sistema.

Agora somos adultos
Vivendo linhas sem sentido
E não mais crianças que apenas seguiam
Uma meta para o que os era agradável
Uma vontade ambiciosa e cínica
Que não se admite
Como volumosos frustrados.

Evitei sempre expor algum dos poemas do maldito caderno, por esse ser um antigo eu, uma versão fracote de 18 anos já chegando em um beco sem saída. Mas existem dias em que é preciso tirar algum pequeno peso do baú, ou ele termina de te afundar.

Força e honra.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

O politicamente correto já está nos matando (ou A Problemática Mônica)


No século anterior tivemos revoluções científicas e guerras mundiais. Até hoje saem reproduções artísticas do impacto disso tudo. Agora estamos em uma época contemporânea onde temos tanto conhecimento que não sabemos sequer o que fazer com ele direito. Veio rádio, veio TV... BOOM! Internet! O mais marcante a ser revelado com a globalização é como o mundo... não é um lugar muito bom. Enquanto eu escrevo essa bosta, nem tenho mais certeza do porquê, o circo vai pegando fogo. Passamos terrivelmente longe de termos um objetivo comum, a Internet supostamente nos conectaria, mas o tempo passa e o único sonho que as pessoas do mundo todo compartilham é o próximo episódio de uma série ou filme muito famoso. Coisa de nerd? Sim. O termo nerd que significava basicamente um "idiota" até um pouco depois dos Anos 90, foi de repente adotado por quase todo mundo. Quase todos estão preocupados em absorver o máximo de entretenimento possível, não sendo raro ver alegações que quanto menos temas reais forem discutidos, melhor.

ALAN MOORE PARA A CADEIA!


"Nerd" originalmente era um personagem do Dr. Seuss. O termo acabou sendo usado pra definir pessoas desagradáveis em geral. E quais acabaram sendo as mais desagradáveis? As inteligentes, cientistas, CDFs e afins. Pessoas que pensam mais que a média e acabam incomodando por causa disso. Agora todo mundo virou nerd. Mas me parece que agora todo mundo é idiota... ou no mínimo não se importa de ser tratado como tal.

PINK FLOYD PARA A CADEIA!

"Costumo publicar no Instagram pequenos textos com pensamentos que, em tese, teriam passado pela cabeça dos meus gatos. São — nem preciso dizer — simples exercícios de imaginação, que servem como legendas para as fotos, e vêm invariavelmente entre aspas, para que fique claro que foram escritos como supostas citações. Essa semana escrevi um para a Lolinha:

'Dizem que os cães não conseguem ver cores. Faz sentido. Eles não são gatos, coitados. Têm suas limitações.'

A crença de que os cães não enxergam cores caiu há tempos, mas achei que a Lolinha preferiria manter a noção anterior. Como boa gata que é, ela deve se sentir infinitamente superior aos cães; gatos sempre se sentem infinitamente superiores.

Compartilhei foto e legenda no Facebook. Pois não é que donos de cães se meteram em brios?

'Coitado, eu diria, é de quem não dá valor aos seus animais de estimação' escreveu um deles; 'gatos, cães, bois, leões, que importa como enxergam? Todos são lindos e todos são perfeitos. Ah, os gatos não enxergam todas as cores, têm limitações também', escreveu outro.

Tive quer apagar alguns comentários mais exaltados."

Cora Rónai

Bem... tem nada de raro em ver coisas assim. Mas até então estamos falando de cães e gatos.


E também estamos falando da Internet.


Um lugar onde caras como eu e você (idiotas e nerds, desagradáveis?) podemos estar aqui agora mesmo fazendo o que estamos fazendo. Aliás, vale adicionar que a própria ideia de tecnologia estava sempre relacionada a tribo nerd. Aqui é fácil pra caralho... Somos todos inteligentes, corajosos, amáveis e interessantes, não somos mesmo? Escrevi por quase seis anos no meu blog pessoal e não faltavam leitores vindo dizer o quanto eu era incrível. Quero dizer, somos realmente importantes aqui; somos vistos e reconhecidos. Mas... além de difamações compartilhando os arquivos íntimos das ex-namoradas (às vezes nem ex é), não dá pra mudar muito o mundo real pela Internet. No máximo você pode destruir a reputação de uma pessoa a hackeando, por exemplo. Aí você muda/destrói uma vida, mas no que se trata de mudar a sociedade... TV e revistas impressas também já foram e ainda são intenso meio de satirização de políticos, mas ainda assim não mudam nada...

"Engraçado que essa música foi escrita contra o Collor e hoje ele tá aí andando de lamborghini."

Dado Villa-Lobos

LEGIÃO URBANA PARA  A CADEIA!


A ideia é ser quase aleatório mesmo porque eu não quero terminar esse texto, apenas jogar um monte de coisa. Nós vivemos no Brasil, o país onde músicos chegaram a ser deportados protestando contra os sistemas ditatoriais; algo que eu me orgulho bastante. Nós vencemos a ditadura, não vencemos? E tínhamos (que orgulho...) a casa de torturas mais violenta da América Latina. Hoje em dia nós também protestamos, não protestamos? Voltamos a fazê-lo em 2013, contra o absurdamente corrupto partido do PT; que tem como maior rival o, mais absurdamente corrupto ainda, partido do PSDB. Estava tudo muito bonito, e não estou sendo irônico. Tínhamos slogans compartilhados culturalmente, pela nossa própria Internet, como "o Gigante acordou", "#naovaitercopa" e o questionável "pior que o PT não fica". A imagem de Guy Fawkes usada em V de Vingança por David Lloyd também foi um símbolo apesar da maioria nunca ter lido a obra, isso foi um excelente sinal.


FRANK MILLER PARA A CADEIA!

Resultados: O PT, de fora PT, continuou dentro, o PSDB recebeu quase metade dos votos, teve Copa sim, ô se teve. O Gigante também voltou a dormir. Ou seja... nós entramos para a História (isso se lembrarem da gente) como revolucionários posers, ou sendo mais direto... idiotas(nerds, desagradáveis, ou os dois?). A decadência da arte(poderíamos defini-la como reflexo da realidade?) parece seguir a da moral social; mas antes de prosseguir eu gostaria de fazer um interlúdio.

BLACK SABBATH PARA A CADEIA!


Vamos fazer um interlúdio para falar de ídolos. Usando a própria Internet como base, eu diria que os  principais ídolos(ideológicos) da nossa geração são:

Morto

Morto
Morto

Morto

Morto

Morto

Nossos ídolos estão todos mortos, e pior, não surge um babaca que seja para nos representar, para ser a nossa voz. Paradoxalmente, com a Internet todos temos voz. Temos todos uma boa visibilidade e reconhecimento, seja ilusório ou não. Alguns começaram a se destacar mais na nossa terra, se não me engano, em 2009 mais ou menos: os vloggers!

RAMMSTEIN PARA A CADEIA!


Na época entrou em pauta se os vlogs não seriam a nova forma de expressar opinião. O PC Siqueira era um infeliz sincero e com um jeito engraçado de reclamar, Felipe Neto havia criado um personagem que já forçava pra reclamar de absolutamente tudo, havia um senhor que também forçava um personagem para reclamar como se fosse um vlog para idosos (um dos que eu achei mais criativos), garotas cujos vídeos se popularizavam pelos seios a mostra e uns outros mais recentes como aquele Cauê Moura que não para de gritar(haja fôlego). Conclusão: eles funcionavam? Pra caralho. O PC Siqueira falou tava falado. A opinião dele era clonada tivesse ele soltado o mais simples comentário sobre Resident Evil, comportamento, governo, música, o que fosse. As pessoas realmente os ouviam e não demorou muito para eles serem caçados por outros meios de comunicação como o Multishow e a MTV na TV.


Mas afinal, quem foram esses caras? Certo ou errado, eu diria que não eram muito diferentes de eu e você, idiotas/nerds/desagradáveis com uma webcam ou um teclado. Isso ficou explícito com a falta de habilidade jornalística do PC Siqueira ao migrar para a MTV. Eles eram afinal... pessoas "normais". Pessoas normais com opinião. Foi o que mais funcionou nesse território, com esse objetivo e nessa época. Mas ainda assim eles são... ídolos? Não. Até eram usados como tal, mas seriam mais uma base de consultas de opinião. Por exemplo, durante as eleições ou manifestações você podia até ir conferir as opiniões deles, mas não chegavam a ser artistas ou intelectuais com um senso pedagógico. Tinha um cara com máscara de V de Vingança que era bem corajoso e inteligente na época das manifestações de 2013, fazia vídeos, mas... ele sumiu(olha que engraçado). Sem ídolos corajosos não há uma voz pra te representar. Não há guias, não há em quem se espelhar e inspirar, tema dos últimos três filmes do Batman e de "Superman: O Homem de Aço". Tal tema também deve ser rebatido novamente em "Batman V Superman: Dawn of Justice", que lança ano que vem. Razão pela qual já vi até um texto no site da Uol dizendo como ele pode enterrar os filmes de super-heróis por apresentar informações e temas demais no trailer.

http://matias.blogosfera.uol.com.br/2015/07/14/por-que-batman-vs-superman-pode-enterrar-os-filmes-de-super-heroi/


É como reclamar que o seu professor é ruim porque ele é muito inteligente e você é BURRO! É claro que estou sendo intolerante a opinião alheia, mas... não mato ninguém fazendo isso. Talvez ofenda algumas pessoas, mas tem uma razão pra eu ter escolhido a primeira imagem do post como primeira imagem do post.

ONDE É QUE EU TAAAAAAAAAAVA????????????

Ah é...

ROCKSTAR PARA A CADEIA!

Bem, não é uma característica do séc. XXI a intolerância contra o que é diferente ou corajoso. Nada a ver, na verdade, parte da nossa literatura mais influente envolve justamente o envenenamento de Sócrates e a crucificação de Cristo (leia-se: maloqueiros com opinião própria). Alguns dos melhores exemplos são justamente os roqueiros do último século, tão populares atualmente, são até personagens de videogames e vivem dando entrevistas para a televisão e a internet. Mas quando estrearam AC/DC, Iron Maiden, Black Sabbath, Led Zepelling, Beatles, Rolling Stones e até o Elvis, eram acusados de satanismo. Os rumores que chegavam a sair em jornais eram realmente criativos, como espalhar que Angus Young já havia se empalado com sua guitarra, Ozzy Osbourne assassinava filhotes de cão e se banhava em sangue antes de entrar nos shows e Alice Cooper (filho de pastor, catequista no Arizona) usava todos os tipos de drogas, era o anti-cristo e pretendia se tornar político para dominar o mundo e... trazer o Armaggedon. Houveram tempos mais pesados, quase todos tiveram que encarar processos, até a Madonna, rainha da música Pop, e o Twisted Sister chegou a ser desfeito.


RAIMUNDOS PARA A CADEIA!

Mas a maioria não parou e os que pararam não foram por esses motivos. O que é óbvio, caso contrário eles não seriam eles, seriam idiotas que nem a gente.


Eles lutaram pra morder a parte deles e muitos (como o AC/DC acima) não soltaram mais. O estranho é que ainda assim essa geração parece diferente. É como... se não houvesse aquela linha clichê entre a geração anterior cansada e conservadora e a mais jovem sonhadora e revolucionária. Os próprios jovens são conservadores! Sem contar a enorme parcela de sempre que não tem educação decente sendo fortemente tentada pela cultura consumista e o mundo do crime (o que não é mais um problema tão grande, já que podemos prendê-los mais cedo agora). É nada raro ouvir comentários de pessoas extremamente jovens sendo extremistas quanto a questões políticas de Direita e Esquerda, ou até mesmo reclamando de "hetereofobia". Eu nunca fui, mas duvido que mesmo em uma balada GLS ocorreria algo próximo a uma hetereofobia. Sei que assim entro no modo ilimitado de velho ultra-chato, mas até mesmo toda essa "celebração" pelo casamento gay não me convence nada que estaríamos supostamente nos tornando mais compreensíveis e amáveis. Ser gay apenas entrou na moda.

MAURÍCIO DE SOUZA PARA A CADEIA!


É claro que é um bom avanço. Quando eu tinha uns 11/12 anos um cara gay foi encontrado no banheiro da escola que eu estudava com os pulsos cortados, ele sobreviveu, mas tinha tentado se matar. Ironicamente esse meu amigo que encontrou ele também é gay (mas naquela época tinha a mesma idade que eu), acredito que o ambiente deve estar menos aterrorizador agora. Mas independente do casamento gay te deixar feliz ou não, me incomoda MUITO as pessoas aceitarem as coisas porque estão na moda, se tornaram legais. A moda passa e a ignorância retorna podendo trazer infinitos tipos de preconceito. Martin Luther King Jr. gostava de lembrar como tudo que Adolph Hitler havia imposto estava dentro da lei, era legal, então espero que as minhas palavras não soem tão pessimistas e ranzinzas assim. Aquele pessoal que andava que nem o Elvis declarava que se vestiam daquela forma porque... seus pais não o faziam. Veja só, moda novamente, mas ainda assim, tentando ser diferente. A moda agora parece ser um poser conformado... Gostaria de fazer mais um interlúdio nessa bagunça falando de uma das melhores coisas que já li e tá batendo na minha cabeça de novo e de novo conforme escrevo isso: "Reino do Amanhã".

MATT GROENING PARA A CADEIA!

Droga, o Coringa morreu. Magog pra cadeia, produção?
Caso você não conheça, procure ler "Reino do Amanhã". É um quadrinho que foi feito nos Anos 90 (olhe só, eles não foram tão ruins) por Alex Ross e Mark Waid, por acaso dois dos melhores profissionais no território. Na trama futurista a maior parte dos heróis está distante e aposentado, havendo uma nova geração de justiceiros e super-vilões. O problema é que eles só saem se digladiando de um lado para o outro sem se preocupar com o objetivo ou significado disso, a única preocupação é em parecer com o que era feito no passado. Parecer, e não ser, uma preocupação superficial, como um poser.

Entendeu?


Eu acho chato usar o movimento feminista como exemplo sendo que esse tipo de conduta tem se refletido em todo canto, mas ele possui os melhores representantes. Eu entendo como paciência não deve ser o sentimento mais intenso de todos quando as próprias leis, e às vezes sua própria família, estão contra o seu gênero. Mas lembremos que o falecido Nelson Mandela ficou no xadrez por 27 anos graças à segregação racial (porque a pele dele é marrom) e saiu de lá querendo perdoar justamente os que haviam o colocado lá. Um grande preto na África, não precisamos nos nivelar por baixo, precisamos? O movimento feminista (no estado atual) se dedica a criar uma linha de diálogo com os que não o entendem? Não, e ouvi isso da boca de uma chargista feminista na minha cidade, queria até aspear, mas maldição, não encontrei o nome dela em lugar nenhum. Mas repetindo o que ela falou, tem sido um movimento que não acolhe ninguém, na verdade ele te exclui e te xinga. Ainda assim é muito comum chamarmos os nossos "inimigos" de conservadores e nos auto-declararmos liberais de cabeça aberta concorde com a minha opinião ou morra. Mas agora vamos ao que deu origem a esse post!!!

"Ao coagir e constranger quem pensa diferente, você se torna um marginal. Um agente do terror. Um militante do ódio." Adriano Silva




No trabalho de Ozymandias Realista, um dos principais escritores e fundadores desse site, há um sistema de exposição de desenhos. Uma iniciativa artística e criativa, seeeeeeeeeeeeee... não tivessem retirado o que ele fez porqueeeeeeeeeee... o cara tava fumando um cigarro. Que nem não deixaram o personagem John Constantine fumar na sua série recentemente cancelada. É claro que isso é considerado ofensivo por causa da influência que pode ter nas pessoas, consequentemente prejudicando suas saúdes. Mas bem... retiraram o desenho.

Ok.

As crianças não fumarão agora que elas tem menos séries e desenhos amadores em exposição.
"Alguém tem um cigarro?"
Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots

Não vejo alguém começando a fumar por causa de um desenho de um sujeito(muito do ferrado) com um cigarro na boca. Muito pelo contrário... Alguém realmente acredita nisso??? Bem, a censura da representação do cigarro não fecha as empresas produtoras de cigarros, mas funciona muito bem em impedir o desenvolvimento de um dos personagens mais fascinantes da nona arte no século passado: John Constantine. O detetive paranormal foi criação de Alan Moore e acabou se tornando um dos ápices da editora DC Comics no selo Vertigo para estórias adultas. O cigarro é essencial já que o personagem é um drogado e tem que lidar com altos problemas de câncer. Mas de repente ele não pode mais. Uma luta com boas intenções? Acho que não. Conservadorismo, e um tanto covarde, me atrevo a dizer.

HIDEO KOJIMA PARA A CADEIA!

Tomei a liberdade de nomear essa situação de "Problemática Mônica".

- A PROBLEMÁTICA MÔNICA -


Enquanto de um lado há "liberais cabeça aberta" do movimento Feminista exigindo que HQs e obras de ficção contem com personagens femininas mais fortes e de atitude (vou nem comentar como mulheres sempre admiraram quadrinhos...), do outro há mais liberais exigindo que o Cebolinha não possa se referir a Mônica como "golducha", "baixinha", "dentuça"; pois isso é considerado bully, assim não podendo ser mostrado no gibi. Conclusão? Não tem Mônica.

Eu gosto de usar esse exemplo porque ele pode ser migrado pra tudo.

Foi a mesma coisa com a Mulher-Aranha da Marvel. Enquanto há pessoas defendendo (e protestando) que mulheres devem ter a liberdade de exporem os seus corpos o quanto quiserem, pois afinal, os corpos são delas; surge uma infinidade de sujeitos do mesmo movimento protestando contra a capa de um gibi em que a super-heroína está com sua bunda enorme para cima.

O que eu realmente queria saber é quem compra o gibi da Mulher-Aranha?
E só pra não deixar de falar, também se ofenderam esse ano mesmo com a capa variante da Batgirl referente à "Piada Mortal". O vilão aparecia dando trabalho à todos os heróis da DC nas capas.

O Coringa pode aterrorizar todos os seres do Universo menos as mulheres? Estavam enfrentando a exclusão?

"Antes de mais nada, eu acho que eu não preciso justificar porra nenhuma. Bem ou mal fazer um disco é o maior depoimento que a gente pode dar. Tá lá, escrito tudo, qualquer pessoa pode ler as letras e tirar suas próprias conclusões. Se achar uma frase ofensiva como 'com essa vagabunda não consigo ter um pingo de conversa'; tem pessoas que podem achar que é uma frase ofensiva, tem pessoas que podem achar que tá dentro de um contexto de uma conversa de um cara reclamando de sua mulher. Tem pessoas que podem reclamar da nudez feminina nos clipes, nas coisas, tem mulheres que defendem que a nudez feminina é liberdade. Definitivamente não sou eu que vou ficar explicando o fim da história nem o que que eu quero dizer. O Donida escreve as músicas, a gente fala uma coisa muito claramente."

Jimmy London

Ao menos pra mim, o principal problema disso é a ilusão de que você está lutando por um bem não discutindo sobre um suposto mal. Acho que esse é o mais fatal, pois já não é difícil se enganar sem intenção, imagina então se forçando a acreditar que atitudes que mudam absolutamente nada estão contribuindo para uma sociedade melhor.



Enquanto isso, no Mundo Real...

"Crianças choramingam e viúvas lamentam. Nosso sistema educacional falha e para escondermos nossa culpa construímos mais prisões... e construiremos muitas mais."

Eu sei que essas minhas palavras poderiam ser o julgamento de uma série de pessoas sem nem saber da vida delas e as atitudes que elas tomam. Mas é o contrário! Eu sei das coisas que elas fingem que não veem e as atitudes que não tomam! Você pode se revoltar contra a grande injustiça que são os gatos se declararem superiores aos cães em uma legenda fantasiosa de uma foto no Facebook. Torcer pelos filmes da Marvel ou da DC como sempre pôde torcer por times de futebol. Alegar que um game que mostra jovens sofrendo bully como sempre sofreram deve ser proibido pois destruirá o radiante sistema educacional. Enquanto isso... um grupo de professoras do Estado em Minas Gerais se reúnem para declarar e discutir como durante o mandato de Aécio Neves como governador elas não ganharam nem o mínimo de salário estabelecido na Constituição. Elas não quebraram nenhum caixa de banco, mas acho que eu e você não gostaríamos que isso acontecesse no nosso trabalho, não é mesmo? O ex-governador então correspondeu da seguinte forma: processo. Quase todas as pessoas escolarizadas de classe alta votando num homem que toma uma atitude covarde de bully contra professoras tomando nada menos que a mais racional atitude. Quero dizer... que cultura "nerd" é essa? Acho que perseguição, ameaça e repressão ainda se encaixam como atitudes do estereótipo "valentão", não?


Agora é aprovada uma lei para construir prisões(com teu dim-dim, meu caro nerd idiota e desagradável) pra menores enquanto o PT também não melhora em nada o Sistema Educacional, ou sequer se preocupa em melhorar a qualidade de vida dos professores que continuam ganhando pouco. E eu acho que se todos os jovens desse país resolverem misticamente que vão estudar da noite pro dia nem tem cadeira pra todo mundo na escola. Mas as prisões já estão sendo feitas. Metade do país vota na Dilma e metade no Aécio, não se importando neeeeeeeeeem um pouquinho com o claro ataque contra a Educação, que você pode muito bem interpretar como a qualidade intelectual, da esperança em um futuro lugar melhor, e até mesmo uma cultura melhor. Mas isso não é tão ruim, isso não dá pra gente mudar de qualquer jeito, apesar de aparentarmos uma antena ligada e um olho aberto para captar qualquer coisa ofensivamente inadmissível.

Talvez tudo isso seja a diferença entre...


Um manifestante


E um "manifestante"


Um roqueiro


E um "roqueiro"


Uma conversa


E uma "conversa"


Um problema


E um "problema"


Uma ofensa


E uma "ofensa"


Uma polêmica


E uma "polêmica"...

Talvez seja só o essencial...

Que como já dizia no Pequeno Príncipe...

É invisível aos olhos.


Se formos otimistas, quem sabe depois de destruir a Cultura vamos atrás do PT. Mas não ano que vem, que ano que vem tem Olimpíadas.

"Quando eu estava em San Diego, o nosso editor nos introduziu para um homem que era de sua terra-natal e tinha sua loja de quadrinhos lá, uma cidade pequena e... ele cometeu o erro de deixar um garoto jovem levar um quadrinho, um quadrinho pequeno, com uma imagem de nudez de Pablo Picasso na frente. Esse pobre vendedor foi esmagado em um julgamento sobre pornografia por dois anos e meio. Ninguém na cidade falava com ele ou com a sua esposa. E o Comic Book Defense Fund se impõe para defender esse tipo de caso e eles foram cedendo dinheiro para esse julgamento que foi se estendendo mais e mais e mais. E eu conversei com esse homem, e conversei com sua esposa e a perguntei como ela estava se sentindo; ela se desfez em lágrimas, disse: 'Nós estamos completamente isolados, ninguém fala conosco, é como se tivéssemos assassinado alguém.' Nessa atmosfera... no estado do meu editor, ele disse 'Ok, eu estou doando dinheiro, todo o dinheiro que eu posso para o Comic Book Defense Fund, com o risco que Garotas Perdidas coloque todos nós na cadeia.'"

Melinda Gebbie


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

17 lugares radioativos pelo mundo


Costumo dizer que a radiação é como o fogo: ela pode servir pro bem ou pro mal. Às vezes a gente perde o controle e acidentes acontecem, contaminando e destruindo lugares por longos períodos de tempo. Listei aqui 17 lugares mais radioativos do planeta pra você passar bem longe (ou não):


Mar Mediterrâneo radioativo – sabe-se que uma máfia italiana chamada Ndrangheta foi responsável por lidar com lixo radioativo, mas ele misteriosamente desapareceu desde 1994. As suspeitas são de que os incompetentes pegavam o dinheiro e jogavam tudo no meio do mar Mediterrâneo ilegalmente. Se for verdade, o estrago pode ser colossal. Há uma ONG italiana chamada Legambiente que está investigando o local. O medo principal é de que a água salgada tenha degradado os barris ou que eles sejam facilmente abertos. Se houver esta catástrofe, o ambiente do Mediterrâneo será contaminado e nunca mais recuperado.


Somália comprometida – em 2004 surgiram alguns barris estranhos na costa da Somália depois de um forte tsunami. O governo somali teve um frio na espinha. Segundo a máfia italiana supracitada, eles também enterraram cerca de 600 barris de lixo radioativo e tóxico oriundos inclusive de hospitais na costa da Somália. Possivelmente estes barris que apareceram poderiam ser os enterrados. Se um deles abrisse ou se rompesse seria um desastre que assolaria um país que já vive numa miséria histórica e quase irrecuperável. A culpa era de quem? O governo não protegia a costa na década de 90 e a máfia estava cheia de espertalhões. Decida você mesmo.


O alto preço da bomba atômica – os japoneses pagaram feio pelos ataques e as vítimas literalmente viraram pó. Os poucos sobreviventes vivem com uma péssima qualidade de vida e saúde. Por outro lado, os Estados Unidos tem uma pedra no sapato também. O Hanford Site, em Washington, guarda os resquícios do lixo nuclear que sobraram da fabricação da bomba atômica. Ali também foi guardado o lixo radioativo do que restou da fabricação de armas de destruição em massa da Guerra Fria, onde o país ganhou 60mil armas nucleares de defesa e ataque. Estão armazenados 2/3 de todo lixo radioativo do país que inclui 53 milhões de galões de líquido nuclear, 25 milhões de metros quadrados de sólidos nucleares e 200 metros quadrados de água do subsolo contaminada. O problema maior é que o lugar fica bem no coração do país, pertinho da sede do governo.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Fãs gravam vídeo em homenagem a Hideo Kojima


Hoje Hideo Kojima, reconhecido por muitos como o melhor game designer de todos os tempos(e na minha opinião, o melhor artista da Era Digital), faz 52 anos de vida. 28 anos ele se dedicou a série Metal Gear, um projeto ousado, complexo, insano, apaixonante e singular. Um game que é impossível você jogar sem sentir paixão por ele. O novo e provavelmente último capítulo, "Phantom Pain", lançará em menos de 10 dias; surpreendentemente, tudo indica que o seu criador não trabalha mais para a Konami, por razões nada claras.


Os fãs ficaram com um vazio quanto a falta de explicações quanto a um possível novo Metal Gear, um capítulo final para Zone of the Enders, ou até mesmo Silent Hills, que já havia sido anunciado em parceria com Guillermo del Toro. Mas Kojima sai sem dever nada aos fãs. No vídeo publicado pelo canal "Metal Gear Music" é adaptada a música "Here's To You", que abre o prólogo do novo jogo: "Metal Gear Solid: Ground Zeroes". O próprio ator que dublou o Skull Face, James Horan, faz a abertura do vídeo repetindo a sua frase do game, e no fim deseja sorte a Kojima em todos seus futuros trabalhos.


Até o lançamento deve ser liberado mais um último trailer, e então... aquela sensação de sempre que nós mudamos e enriquecemos porque nos aventuramos em mais um jogo desse grande maluco.

"Jogos não devem apenas ser divertidos, eles devem ensinar ou despertar um interesse em outras coisas." Hideo Kojima