Pesquisar este blog

smc

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

CHESSBASE 12 – Baixar e Instalar (ATUALIZADO)

Bobby, eu devia ter fugido enquanto tava bonito, como você fez, oh mestre.

<VEJA TAMBÉM: 10 DICAS DE COMO USAR O CHESS BASE 12:>



  E esse senhoras e senhores, é dos raros posts onde coloco um software para download e faço um pequeno tutorial de como usar. “Chessbase” é um programa cuja principal função é ler arquivos PGN, formato de saída usado para armazenar partidas de xadrez de maneira leve e versátil. O site que criou esse programa, já existe há mais de vinte anos, e é considerado o maior banco de dados de toda a história enxadrista. Ao importar um arquivo, ele oferece todas essas opções de extensões:



É possível editar a maneira que se quer o tabuleiro, bem como modelo de peças, ou optar pelo 3D, embora eu confesse que a visão 3D dele fique a desejar:



  Se o seu computador tiver internet, é possível analisar sua partida, fazendo uma pesquisa e comparação com partidas similares de mestres, para ver onde eles podem ter jogado nessa situação, ou mesmo descobrir novas variantes e teorias. Esse método de “aprendizagem comparada” era inclusive usado nas escolas enxadristas soviéticas. Karpov, Petrosian, Kasparov, Spassky, Tal e outros estudavam assim.

  Ou pode contar com os ensinamentos da máquina, caso fique com posições difíceis na cabeça. Clicando no ícone da lâmpada, ela calcula qual o melhor lance em determinado diagrama.

Como instalar:

1.  Baixado o arquivo, utilize o Win Rar para "deszipar" ele. Caso não tem o Win Rar, pode baixar ele aqui no blog, na barra direita do canto da tela.

2.  Clique na pasta “install (x32 - x64)” e escolha sua versão.

3.  Clique no arquivo Setup para instalar.

4.  Coloque o serial: AWTXX-SCPGX-LFVCU-F445D-M66XX-CB12

5.  Após isso, há um último truque. Copie o arquivo “CB-Patch”, ele está na pasta “patch and serial”.


6.  Vá até: Meu computador (C:) > Arquivos de Programas > CBase12 e cole o arquivo lá.

7.  Execute o arquivo. E pronto. Agora vá treinar!

Você no domingo bebendo ao som do Pablo, enquanto esses gênios se juntam para se tornarem mais gênios...



























VERSÃO EM 32 BITS:







VERSÃO EM 64 BITS:



BAIXE O CHESSBASE 13 NO MEU PARCEIRO XADREZ PIRATA CLICANDO NESSE LINK ABAIXO:





domingo, 28 de fevereiro de 2016

10 EXPLICAÇÕES PELA FORÇAÇÃO DE BARRA QUE É A PROPAGANDA SOBRE O FILME “OS 10 MANDAMENTOS”



Não aguenta mais ligar a TV e ser bombardeado por propaganda de todos os lados feita pela Record para promover a novela que ela (não sei com que espécie de recorte) transformou em filme? Ai vão dez possíveis explicações:




10. Esse filme é o Kuriboh disfarçado. E Yami agora é o dono da Record.

 

09. Estamos na Matrix, e adivinha quem é o dono da citada emissora...
 
 

08. Os roteiristas do filme são múltiplos do Jamie Madrox. Preciso dizer quem na maioria vai assistir o filme deles?




07. John M. está por trás de tudo. Simples assim. Eu bem sabia que ele não tinha sido plenamente derrotado no começo dos anos 2000.

06. Um dos clones que Lex Luthor faz enquanto está entediado foi do Galvão Bueno. E esse ser reverso pretende vencer sua contraparte que narra futebol. Só que falando desse filme mais do que o original fala sobre o Neymar.


05. Esse longa metragem é uma transcendência do Baidu para a TV aberta. Ele já havia dominado pcs, celulares e tablets. E em breve, ele vai dominar até seus sonhos.
 


04. Não estamos na Matrix, estamos dentro do roteiro de Hellraiser V: Mod Bispo Edi Macêdo Rules.

 
03. Todas essa iniciativa de novelas “adaptando” toda a bíblia é um elaborado plano de dominar o mundo, elaborando por vilões aos moldes da sociedade de vilões da DC, embora nesse caso, sejam ex-atores da Globo sem sucesso por lá, almejando descontar seu rancor no público brasileiro.


02. Esqueça a “sociedade”, é apenas algum diretor frustrado pensando estar criando uma ponta com o cinema blockbuster de Hollywood na marra. Mal sabendo ele, que os filmes quando realmente são bons, começam a se vender do público para o público a partir de certo tempo. Um exemplo certeiro são os dois filmes do Tropa de Elite. Mal sabe esse diretor, que quando um filme é ruim, não adianta ser um americano orçado em 300 milhões, ou um Br cuja cifra não paga nem um trash de lá, ele é ruim!
 

01. Ou eu apenas tenha tido um momento de descuido sem fone de ouvido e fui pego por isso.

 

Esse post custou... Tá, foi de graça


"Estamos em pleno 2016. Sabe o que eu quero dizer? Não batalhamos contra pessoas. Batalhamos contra pensamentos. Você batalha contra pensamentos que tentam por as pessoas pra baixo. Você batalha contra pensamentos que tentam segurar as pessoas. É contra isso que eu estou batalhando. Eu não estou batalhando contra as pessoas, eu batalho contra a forma que as pessoas pensam. Então, de novo, amo vocês."  Terry Crews

400 VITÓRIAS?



   Kratos termina GoW II em pleno ato inescrupuloso de escalar o Monte Olimpo junto aos titãs, o fim dos deuses parece ser inevitável. Era assim que eu me sentia até Sábado passado. Arrogante, eu sei, mas sedento por derrotar os supostos deuses, autoproclamados melhores enxadristas do meu estado. Me sentia como Rocky antes de sua primeira luta contra Apollo: 
 

“Não importa mesmo que eu perca essa luta. Tampouco me importa se Creed abrir minha cabeça. Porque tudo o que eu quero é aguentar os 15 rounds. Ninguém conseguiu ir até lá com Creed. Se eu puder aguentar até o fim, o gongo tocar e eu ainda estiver de pé, saberei pela primeira vez na minha vida que não sou mais um boxeadorzinho do bairro.”



   Era o que eu manteria em mente ao enfrentar um cara que já é pentacampeão estadual, sem falar em outros competidores que também já foram campeões. Tal qual Kratos, tão próximo do que almejava, eu cai. O caminho pareceu ficar mais longo do que já é. Em pleno Sábado, um dia antes do campeonato, após “extenso” treino e disputas online, eis que tomo 5x0. “Mas como você não estava no auge da sua forma?” Aparentemente não estava. Meu adversário aguentou meus melhores golpes, puxei para outras variantes, mas era como tentar socar o Flash. Rápido e brutal, eu fui pra lona. Não tive coragem para jogar no campeonato no outro dia, os caras lá ainda seriam mais perigosos que o tático – com um estilo bem parecido comigo, só que aprimorado – que havia me humilhado. No dia seguinte, outro adversário, resultado: 6x1. Algo estava muito errado, mas meu pensamento saiu de foco. Não deu mais para processar o que ocorria, só sentia uma profunda raiva e desconcentração, aquela certeza interior de ser um imutável perdedor. Na segunda-feira, eis um 4x0. Parecia mais uma recessão, a mente não processaria tão cedo, e eu estaria próximo de uma trava como em “Um Soco no Ego”. Na terça, perdi em posições ganhas para um oponente bem mais fraco, por 2x0. Perguntei até ao meu tio, o por quê de tudo isso, e ele com sua cínica sabedoria apenas me segredou: “O senhor pegou no sono e deixou o cachimbo cair. Vai querer ser campeão sem ralar?” Foi hora de uma reforma de tudo. Havia percebido que eu tinha explorado a abertura Ruy Lopes mais do que devia. Que havia só pautado meu jogo nela, e por obter sucesso e desenvolver em cima, já me achava pronto. 


Primeiro passo lógico foi passar no mínimo 50 partidas sem usá-la, e não repetir nenhuma abertura de nenhuma partida para a outra. Gambito de Rei, de Dama, Benoni, Defesa Francesa, Phillidor, Petrosian, Benoni, qualquer coisa. Foi hora de dar um basta em partidas mais confortáveis e sólidas e buscar posições mais perigosas para ambos os lados, para desestruturar tudo, a estilo da escola de Paul Morphy e Mikhil Tal.O segundo passo foi o mais difícil. Dar dois passos para atrás para poder avançar cuidadosamente três, ou seja, diminuir o nível dos oponentes que eu iria enfrentar, encarei como Kratos faz, primeiro deve passar por centenas de soldados mais fracos, para chegar ao que quer. 



  Passo três foi o emocional. Como o Silvio Antônio me disse, “precisamos respirar, e nos concentrar enquanto fazemos isso.” Desse jeito, não adiantava eu ter tanto suposto conhecimento teórico e não conseguir aplicar mais que 10% em um combate. De quinta para cá já ultrapassei meu recorde de rating, e agora acabo de atingir minha vitória 400. Não é muito, mas preciso comemorar. Ou melhor, dormir direito.

Off.