Pesquisar este blog

smc

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Review: Novo Esquadrão Suicida #1 (Editora Panini)

Li a mensal Novo Esquadrão Suicida#1, que reúne as edições New Suicide Squad #9-10, Sneak Peek: New Suicide Squad, 60 páginas, lombada canoa, capa couché, papel LWC, R$7,60, lançado pela Editora Panini.


Sinopse:
Um instável e violento grupo dissidente da Liga dos Assassinos está preparando uma ação terrorista global, e somente o Esquadrão Suicida é capaz de impedi-lo. Mas, claro, terá que pegar pesado!

Análise:
Um grupo dissidente da Liga dos Assassinos que emprega meios radicais e acha que a antiga liga está antiquada, ameaça o mundo livre. Pistoleiro, Capitão Bumerangue e Arraia Negra são enviados para se infiltrar no grupo, descobrir que tipo de armamentos eles têm, matar quem puder e retornar para casa. O problema é que, como sempre, uma missão do Esquadrão Suicida nunca transcorre do modo planejado.

Desde que o escritor Sean Ryan assumiu os roteiros, percebi uma aproximação com as histórias da clássica fase do roteirista John Ostrander nos anos 80 – missões impossíveis, ações, situações inusitadas, humor, e uma certa ênfase nos relacionamentos entre seus integrantes – ingredientes que fazem parte da essência do Esquadrão. Vale a pena continuar a ler.


Por Roger

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Review: LJA #1 (Editora Panini)

Li a mensal LJA #1, que reúne as edições JLA 1, Sneak Peel: JLA, 68 páginas, lombada canoa, capa couché, papel LWC, R$ 8,70, lançado pela Editora Panini.


Sinopse:
Um mistério que pode pôr fim não só ao nosso universo, mas a todos os universos, em todas as épocas e realidades! E de que forma isso está relacionado a um deus kryptoniano? Descubra nas novas aventuras da Liga da Justiça da América, criadas pelo consagrado Bryan Hitch. E ainda: você acompanhará nessa nova revista mensal as histórias solo do Cyborg.

Análise:
Ao receber um convite da Corporação Infinito, Superman descobre que o fim de todas as coisas é iminente, em uma chocante cena mostrando Supermen mortos de várias linhas temporais diferentes. Os outros integrantes – Batman, Mulher-Maravilha, Flash e Lanterna Verde – são pegos em uma armadilha onde precisam enfrentar o Parasita. Em Atlântida, Aquaman recebe a visita de um mensageiro profetizando o fim dos falsos deuses e a chegada do verdadeiro deus.

Muita ação e suspense em torno da formação clássica da Liga da Justiça apresentada nos Novos 52. Bryan Hitch, que escreve e desenha esta série, recebeu carta branca para ignorar as mudanças que acontecem da DC YOU e não decepciona. Uma primeira edição que prende o leitor e um final surpreendente. Leitura recomendada.


Por Roger

sábado, 21 de maio de 2016

Conheça o Maximus Festival


Festival inédito de música no Brasil reunirá essa pancada toda que você pode ver na imagem acima. Maiores informações sobre vendas serão liberadas dia 27.

Avisem o Batman...

...que os inimigos dele estão chegando.

Ai, ai Lzzy... ai, ai...

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Review: Batman e Caçadora – Legado de Sangue (DC Comics)

Leia o review de Batman e Caçadora – Legado de Sangue, minissérie em seis edições, lançada em 2000, escrita por Greg Rucka e desenhos de Rick Burchett.



Sinopse:
Caçadora é uma vigilante com métodos extremos, mas apesar disso finalmente ganha a aprovação de Batman, até que um capo da máfia foi assassinado e seu assassino usou uma balestra, a arma preferida da Caçadora. Agora, como Helena Bertinelli, auxiliada pelo misterioso Questão, deve provar para Batman e seus aliados sua inocência e determinar quem está tentando incriminá-la. Através desta busca ela também vai descobrir os segredos por trás da morte de seu pai, um líder poderoso da máfia, e o resto de sua família... O que transformou essa pequena menina católica e inocente em uma Caçadora em busca de vingança?

Review:
Após a saga Terra de Ninguém, a Caçadora passa a fazer parte dos vigilantes de Gotham. Porém, seu primo, o mafioso Claudio Panessa aparece brutalmente assassinado e todas as pistas levam a ela. Tentando provar sua inocência a Batman e a polícia de Gotham, a Caçadora conta com o apoio do Questão.

Todo o passado de Helena Bertinelli, a Caçadora, vem à tona nessa história que envolve a máfia, família e traições. A trama tem participações especiais de Batman, Robin, Asa Noturna, Oráculo e Questão, mas a grande protagonista sem dúvida é a Caçadora. Uma trama com uma surpreendente reviravolta no final e que te prende até o fim para saber o que irá acontecer. Greg Rucka bem à vontade para desenvolver um estilo que ele conhece bem. Leitura recomendada.


Por Roger

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Top 20 Vendas (EUA) – Abril de 2016

A Diamond publicou a lista das HQs mais vendidas em abril de 2016 nos EUA. Confira o top 20:

1. Black Panther #1 (Marvel)

2. Star Wars Poe Dameron #1 (Marvel)

3. Dark Knight III Master Race #4 (DC)

4. Star Wars Special C-3PO #1 (Marvel)

5. Batman #51 (DC)

6. Gwenpool #1 (Marvel)

7. Star Wars #18 (Marvel)

8. Darth Vader #19 (Marvel)

9. Harley Quinn & Suicide Squad April Fools Special #1 (DC)

10. Amazing Spider-Man #10 (Marvel)

11. Justice League #49 (DC)

12. Amazing Spider-Man #11 (Marvel)

13. Walking Dead #153 (Image)

14. Batman Teenage Mutant Ninja Turtles #5 (DC)

15. Spider-Man Deadpool #4 (Marvel)

16. Deadpool #10 (Marvel)

17. Moon Knight #1 (Marvel)

18. Spider-Gwen #7 (Marvel)

19. Justice League Darkseid War Special #1 (DC)


20. Spider-Man #3 (Marvel)

Análise de Vilão - Lorde Voldemort

Olá pessoal! Eduardo aqui novamente, e decidi postar uma análise profunda de um dos vilões mais conhecidos e reconhecidos do mundo: Lorde Voldemort, o Lorde das Trevas, inimigo de Harry Potter, o causador das Guerras Bruxas.
Vamos ver como este garoto...

Se tornou isto:


Análise:

Tom Servolo Riddle, um garoto bastante único, fruto da relação de Mérope Gaunt, uma das últimas descendentes de Slytherin, o fundador da casa Sonserina e um dos fundadores de Hogwarts, e Tom Riddle, um "trouxa" (Humano não-mágico) rico, bonito e arrogante. Ele nasceu com a aparência de Tom, um garoto bonito, charmoso, de cabelos pretos arrumados, olhos escuros e expressão sólida, mas com a personalidade dos mais malévolos Gaunt. A sua personalidade já era naturalmente intragável, e isso se somou á sua infância problemática, criado em um orfanato, onde era incompreendido. Quando Dumbledore o visitou para levá-lo a Hogwarts, podemos ver que Riddle não era uma criança normal. Após discutir com um colega do orfanato, ele fez seu coelho se enforcar no teto. Ele também ativamente intimidava as outras crianças, e ao contrário de basicamente todos os bruxos da sua idade, Riddle já conseguia controlar seu poder mágico até certo ponto e parecia ser completamente consciente destes. Além do mais, ele insistia que sempre soube que era especial, graças ás suas habilidades mágicas. E ele, naturalmente, queria saber quem eram seus pais, tendo sido criado num orfanato. Com a revelação de que era um mago, ele se tornou ainda mais fissurado com seus pais, e tinha certeza de que seu pai era bruxo e que sua mãe não era. Afinal, se fosse bruxa, ela não teria morrido logo após ele ter nascido. Bruxos não deviam sucumbir á morte, pelo menos, não natural.


Quando chegou em Hogwarts, Tom demonstrou ser educado, inteligente e com uma imensa sede de saber, coisas que o tornaram o preferido de muitos professores. Também é mostrado que tentara cativar seus professores, tendo entregado abacaxis açucarados a Horácio Slughorn. E além disso, era carismático, tendo conquistado vários colegas que se uniram a sua volta, como se ele fosse um grande líder. Mesmo após exaustivas pesquisas, não encontrou nenhum "Tom Riddle" nos registros, e foi forçado a aceitar de que seu pai não era bruxo, mas que sua mãe devia ser. Mas a única coisa que sabia dela é que ela havia lhe dado o nome de seu pai, Servolo. Então ele pesquisou, e após muito tempo de pesquisa, descobriu que Servolo era um dos últimos descendentes de Slytherin, e membro da família Gaunt, com dois filhos: Morfino e Mérope (Que Riddle assumiu ser sua mãe).
Ainda em Hogwarts, conseguiu ir para o povoado onde Servolo e os Riddle moravam, e após conversar com Morfino (Servolo havia sido preso), descobriu onde os Riddle morava. Estuporou Morfino, foi até lá, e matou todos os membros da família Riddle usando a varinha de Morfino, depois alterou a memória dele para que ele achasse que havia matado os Riddle. Depois deixou a varinha com Morfino, e voltou a Hogwarts. Morfino foi preso e mandado para Azkaban, a prisão dos bruxos, onde morreu.


Riddle começou, então, a pesquisar os segredos da vida e da morte. Queria ser imortal. Não queria sofrer o mesmo destino da mãe. Isso o levou a pesquisar Horcruxes. E somente Slughorn parecia conhecer o suficiente das Artes das Trevas para lhe responder a pergunta. E de fato, o fez, sem saber que estava cooperando para criar um dos maiores bruxos das trevas que já existiram.
Riddle, com sua mania de se sentir grande, dividiu sua alma em sete partes e colocou cada uma em um objeto que julgava suficientemente nobre da sua alma, exceto por uma, que foi colocada em uma imensa cobra chamada Nagini. Desse modo, não envelheceria, e não poderia morrer mesmo de modos convencionais, a não ser que alguém destruísse todas as Horcruxes.
Ele abandonou o nome "Tom Riddle" e adotou Voldemort, afirmando que somente bruxos são dignos e superiores aos não-mágicos e mestiços, entrando em contradição com o próprio nascimento mestiço.


E, para finalizar, Dumbledore e alguns outros afirmam que Voldemort não possui - e nunca possuiu - amigos verdadeiros. Ele não confia em ninguém. E ele também é terrivelmente calmo, estratégico, paciente e inteligente.


Com todos esses dados, podemos afirmar somente uma coisa: Voldemort é um verdadeiro psicopata.
Na ficção, os psicopatas são comumente mostrados como brutais e sanguinolentos, quando nada poderia estar mais distante da realidade. Mas Voldemort, Tom Riddle, sempre mostrou calma, inteligência e paciência, mesmo em seus momentos de ira e felicidade. Raramente mostrava alguma expressões faciais, e não tem, nem teve, amigos verdadeiros, mesmo com alguns Comensais da Morte estando dispostos á dar suas vidas por ele, Voldemort jamais daria a própria por eles. Além do mais, ele demonstra ser oportunista e esperto, tendo conquistado o apoio dos professores quando pequeno, para adquirir apoio "político" e de peso dentro da escola, e quando fora, buscou a aliança de pessoas extremamente poderosas e/ou perigosas, como Fenrir Lobo Greyback e os gigantes. Sentia felicidade e ira, mas eram sentimentos selvagens, controlados somente pela frieza e calma de Voldemort.
Um vilão assustador, verdadeiramente maligno, calmo, frio e calculista, Voldemort é um dos poucos vilões ao qual podemos tirar o chapéu por ser um verdadeiro psicopata, inteligente, arrogante, poderoso, calmo, frio e, acima de tudo, assustador e cruel, escondido por trás de uma máscara de educação e gentileza.

FATOS E CURIOSIDADES SOBRE PERSONAGENS - Demonbane (Demonbane)

Olá pessoal! Eu de novo, e após um período de ausência, decidi fazer um novo post de fatos e curiosidades enquanto planejo outros posts, mais complexos e difíceis de se fazer. Decidi pegar um personagem de um anime relativamente desconhecido, mas possivelmente o personagem mais poderoso que já existiu na ficção.

Demonbane é um anime/série de jogos eróticos que, apesar de terem distorcido boa parte dos mitos Lovecraftianos, tem uma história interessante e cenas, conflitos e personagens simplesmente épicos. Agora, sem mais delongas, fatos do Deus Machina "protagonista" da série: Demonbane!

1. Demonbane é um Deus Machina incrivelmente poderoso que luta pela justiça e bem.
2. Ele possui uma técnica chamada Lemuria Impact, que cria gravidade e calor infinitos em um único lugar.
3. Demonbane é capaz de evocar infinitos clones de si mesmo, cada qual com poderes e características únicas de cada um, e todos são criados especificamente para combater o adversário dele e anular os poderes dele.
4. Demonbane literalmente conseguiu adquirir o poder do infinito vezes dois.
5. Ele, sozinho, aprisionou praticamente todos os Deuses Extraterrestres, seres quase-onipotentes que comandam toda a existência de Demonbane, com somente dois deles escapando, um por ser muito esperto demais (Nyarlathotep), outro por ser a existência em si (Yog-Sothoth). Até mesmo Azathoth, o Todo-Poderoso, foi aprisionado por Demonbane!
6. Sua mera existência destruiu o universo onde estava, e ele foi crescendo de tamanho até transcender o universo em que esteve.
7. Seu piloto, Kurou, era inicialmente apenas um detetive de coisas mágicas. Sim, essa coisa divina é um robô guiado por uma pessoa. Uma pessoa estranha, mas mesmo assim, sem poderes (?).
8. Ele tem uma espada gigante que usa como bumerangue.
9. Ele também tem um revólver que atira balas de calor basicamente infinito.
10. Ele transcendeu o conceito do infinito e da dimensionalidade.
11. Ele possui um feitiço que bombardeia o adversário com gelo, fogo e energia arcana, finalizando por destruir todo o tempo-espaço onde o oponente está, e todos os efeitos do ataque são focados no adversário. Ou seja, se o universo for destruído por esse ataque, todo o dano sera focado somente no oponente.
12. Para ele, o tempo e o espaço são coisas irrelevantes em uma batalha.
13. Ele conseguiu matar Nyarlathotep, um ser de poder imenso, com somente um olhar.
14. A sua luta contra Liber Liegis causou dano de escala multiversal.

Bem, basicamente, é isso. O que acharam?

domingo, 15 de maio de 2016

Alice Cooper ainda não morreu!


Vale lembrar também que ele nunca morre...




Bem... 


Há uns anos atrás eu escrevia sobre o Alice Cooper quase toda semana. Ultimamente, desde quando ele se uniu ao Hollywood Vampires, praticamente não sai coisas tão legais quanto antes. Claro que dá pra entender, acho que ele já tá com 69 anos... Mas enfim! O que interessa é que Alice Cooper está de volta! Mas não só Alice Cooper! Alice Cooper e...

NEAL SMITH!

MICHAEL BRUCE!

e...

DENNIS DUNAWAY!

Unidos eles são...........






A PRIMEIRA FORMAÇÃO DE ALICE COOPER, CARA!


Você acha que isso é foda? Bem, não é. É MUITO foda!


Só tá faltando o guitarrista principal, que morreu há muitos anos. Eles estão unidos preparando um novo álbum, veja o que o vocalista, o próprio Alice Cooper, falou para o The Weekender:

“Eu escrevi umas três ou quatro músicas com Neil Smith e Mike Bruce. E então nós trabalhamos juntos em Phoenix por umas duas semanas só escrevendo canções e gravando demos. E você nunca sabe quais farão o álbum, mas eu disse, vamos fazer isso.”
“Dennis Dunaway escreveu umas duas ou três coisas. Nós não vimos ainda, mas eu sei que Dennis sempre escreveu ótimos trabalhos. É divertido voltar a trabalhar com caras que você não esteve junto há um tempo. Não é como tentar recapturar sua juventude. É tentar recapturar o som. E é um som bem elusivo.”
“Você nunca pode voltar e recapturar totalmente, mas você com certeza pode olhar aos elementos que fizeram o álbum funcionar da forma que funcionou.”
O velho roqueiro também comentou que está ficando parecido com o que ouvimos no clássico álbum "Killer" (1971). O último (de 26...) álbum do Alice Cooper em sua carreira solo foi de 2011, o "Welcome 2 My Nightmare", já feito em homenagem ao clássico de 75, pensando como seria se Alice voltasse a ficar preso nos seus pesadelos novamente após 35 anos. O último trabalho dele, que até que ficou bem famoso, o "Hollywood Vampires", foi uma homenagem junto a outros rockstars aos roqueiros famosos que morreram nos Anos 70, como Jim Morrison, Jimi Hendrix e outros. É, parando pra pensar, já é o terceiro trabalho consecutivo olhando pro passado, mas o W2MN teve bastante coisa nova, na verdade foi o álbum mais moderno e alternativo dele! Tinham músicas que eram em tom de eletrônica e até uma faixa cantada com a Ke$ha, cara!!!



Tirando o último que foi só de cover, eu gostei dos últimos trabalhos dele. Difícil o Alice decepcionar, realmente difícil... Bem, levando em consideração que já tão gravando e não saiu notícia nenhuma de alguém estar morrendo... acredito que deve lançar em breve, talvez esse ano mesmo. Daqui a pouco o Aerosmith vai sair em turnê de despedida, então os Vampires (que tem o Joe Perry como guitarrista principal) não devem voltar tão cedo. Prefiro assim, hehehe. Alice Cooper é muito bom, não precisa ficar fazendo cover nenhum p###, vinte e seis álbuns gravados! Hehe, é bom lembrar mais uma coisa. Este álbum está sendo feito intencionalmente com esses músicos reunidos, mas não será tão inédito assim. Acontece que a banda original (chamada de "Alice Cooper Band", pra distinguir da carreira solo do vocalista) se separou nos Anos 70 por divergências, mas foi uma coisa suave, ninguém deixou de ser amigo, então nos trabalhos solo do Alice tem bastante colaboração com esses caras, é que dificilmente as pessoas ficam sabendo, inclusive porque eles nem são tão famosos assim à sombra do cantor. Eu gosto de todas as fases da carreira dele, mas essa com a formação fixa também é muito foda, de onde saiu muito das faixas mais famosas como "School's Out", "I'm Eighteen" e "No More Mr. Niceguy". Vale conferir... aguardemos...



Falando na titia Alice, tem texto sobre ela chegando, acho que vocês vão gostar, hehe.

Vale lembrar de Garbage!


O novo álbum da senhorita Manson e sua trupe está bem próximo! O tal se chamará "Strange Little Birds" e sai dia 10 de junho como o sexto álbum da banda! O nome é perfeito... Bem, a banda já voltou a tocar ao vivo (como pode ser visto na imagem acima) em um show que apesar de mais curto que o comum, já contou com uma música do "Strange Little Birds". Pelo visto a Shirley vai manter o cabelo rosa... hehe. E ah é! Ela caiu do palco durante a "Special", mas pôde voltar e continuar cantando; sinal que não deve ter se machucado muito!


O último álbum deles havia sido o bem-recebido "Not Your Kind of People". Ano passado eles fizeram 20 anos desde o primeiro álbum, o próprio "Garbage" (eles resolveram chamar a banda e o álbum assim porque um amigo do baterista falou que a música parecia lixo...) e pelo visto continuam num clima de comemoração, veja o que a cantora falou:

"este álbum tem mais a ver com o primeiro álbum do que qualquer um dos outros"

O primeiro álbum tem algumas faixas bem famosas como "Queer" e "Only Happy When It Rains". Parece uma boa comparação. A (ex)ruiva também comentou que na cabeça dela pensa no álbum como "romântico", um termo que ela não aplica aos outros.

"não acho que qualquer um dos outros álbuns seja romântico. Eu de fato nunca pensei no termo romântico, mas este disco é provavelmente o mais próximo que cheguei deste termo".





Quando tiver lançado inteiro comentamos aqui as impressões. Por último queria deixar a música nova, "Empty", em homenagem ao Ozymandias Realista:


Já estamos em maio, faz quase um ano que comecei a escrever neste site. Queria agradecer publicamente (inclusive porque ele já fez isso várias vezes comigo) ao Ozymandias por me colocar aqui. Quando ele fez isso meio que jogou uma bóia resgatando um carinha no mar, mas eu suspeito que foi mais do que um carinha que ele salvou. Não cheguei a falar com ele sobre o afastamento, mas queria dizer aos leitores/fãs que o seguem que, por experiência própria, acredito que seja nada demais, às vezes você simplesmente quer parar de escrever por um tempo, é bom. Mas isso não significa que o site vá parar, aliás, é pra isso que serve um site com vários colaboradores, ele não precisa parar enquanto um descansa.

Força e Honra?

Vamos lá! o/