.

Pesquisar este blog

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Megapost: Coleção Graphic Novels Marvel #31-40 (Editora Salvat)



Leia a primeira parte com as edições #1-10 aqui
Leia a primeira parte com as edições #11-20 aqui
Leia a primeira parte com as edições #21-30 aqui

Graphic Novels Marvel #31 – Quarteto Fantástico - Ações Autoritárias, que reúne as edições #503-508 de Fantastic Four, escrito por Mark Waid e desenhos de Howard Potter, lançado pela Editora Salvat.


Após o aparente fim de Destino, o Quarteto Fantástico vai à Latvéria e Reed decide que a melhor maneira de lidar com a situação é se tornar o novo monarca do oprimido povo, trazer verdadeira paz e acabar com o arsenal de Von Doom. Porém, esse ato político não passa despercebido pelas Nações Unidas que resolvem intervir. Liderados por Nick Fury, exércitos de várias potências mundiais d\se unem para “libertar” a Latvéria e prender Reed Richards. Num último ato de desespero, Reed resgata Destino do inferno e o prende em definitivo numa espécie de prisão dimensional, mas ao serem resgatados pelo restante do grupo, algo inesperado e fatal acontece.

Um arco impressionante mostrando as consequências da batalha definitiva entre o Quarteto e Dr. Destino. Fica até difícil definir com exatidão as motivações de Reed no decorrer de toda a trama, o que é um mérito do escritor, pois abre várias possibilidades. Egocentrismo, egoísmo, desespero, altruísmo, fracasso, sentimento de culpa, verdadeira coragem ou frustração? Ou uma somatória? A verdade é que Mark Waid traz uma história surpreendente com um final ainda mais surpreendente. Leitura obrigatória.

Graphic Novels Marvel #32 – 1602, que reúne as edições #1-8 da minissérie 1602, escrito por Neil Gaiman e desenhos de Andy Kubert, lançado pela Editora Salvat.


Estranhos fenômenos acometem a Inglaterra de 1602 sob o reinado de Elizabeth. Pessoas com poderes extraordinários se encontram em vários setores dessa sociedade. O chefe de segurança Nicholas Fury, o mago Stephen Strange, o jovem aprendiz Peter Parquagh, Calos Javier e seus pupilos – os Sanguebruxos – o Inquisidor e seus lacaios – Wanda e Petros, todos eles tem suas participações que os levarão à experiências inesquecíveis e um desfecho de tirar o fôlego.

Neil Gaiman cria 1602, reimaginando esta parte do multiverso Marvel, combinando eventos e personalidades reais com os fantásticos personagens da Casa das Ideias. E não se limitou apenas em inserir a mitologia que faz parte das origens dos heróis e vilões que ele usou, mas soube como mesclar essas histórias com acontecimentos reais da época, como a Inquisição, intolerância religiosa, corrupção e ganância política e superstições em uma jornada fascinante. Não conheço muito bem as obras de Neil Gaiman a ponto de fazer uma análise profunda dele como obra literária, mas 1602 me entreteve como um leitor de quadrinhos com uma história bem elaborada e instigante. Leitura imperdível. 

Graphic Novels Marvel #33 – Guerra Secreta, que reúne as edições #1-5 da minissérie Secret War, escrito por Brian Michael Bendis e desenhos de Gabrielle Dell’Otto, lançado pela Editora Salvat.


Alguns heróis estão sofrendo atentados, e isso chama a atenção do Capitão América. Uma missão secreta liderada por Nick Fury, há um ano atrás, e formado pelo Capitão América, Homem-Aranha, Luke Cage, Wolverine e Demolidor volta para assombrar esses heróis hoje. Naquela ocasião, Fury descobre que a Primeira-Ministra eleita da Latvéria, Lúcia Von Bardas, estava financiando armamentos tecnológicos para vários vilões americanos, e a recusa do governo em lidar com essa situação, forçou o líder da SHIELD a derrubar Von Bardas do poder, com a ajuda de sua equipe secreta. Mas, os problemas são mais profundos do que se possa imaginar.

Uma trama bem no estilo espionagem, característico da SHIELD, com muita ação, suspense, intrigas políticas e descobertas inesperadas. O escritor Brian M. Bendis plantou uma pequena semente do que viria a se tornar uma excelente fase do universo Marvel na década de 2000, principalmente com a formação da equipe secreta, que serviria de base para os Novos Vingadores de 2005, do próprio Bendis, e o papel de Nick Fury que seria desvendado apenas na saga Invasão Secreta. Os desenhos são sensacionais, bem realistas, ao estilo de Dell’Otto, com um destaque especial para a colorização. Leitura recomendada.

Graphic Novels Marvel #34 – Vingadores – A Queda, que reúne as edições #500-503 da revista The Avengers e The Avengers Finale, escrito por Brian Michael Bendis e desenhos de David Finch e Olivier Coipel, lançado pela Editora Salvat.


Era mais um dia comum na vida dos Vingadores, se não fosse por um detalhe – de repente, em apenas um dia, a Mansão é destruída, Mulher-Hulk perde o controle, Scott Lang e Gavião Arqueiro morrem, o Visão é destruído, Tony Stark é destituído de seu cargo como Secretário de Defesa e as Nações Unidas rompem suas ligações com o grupo. Quem poderia estar por trás do pior dia na história dos Maiores Heróis da Terra?

Brian Bendis assume o último arco do grupo, como uma preparação para o vindouro novo título – Novos Vingadores. Ação desenfreada e uma revelação surpreendente caracterizam essa história, típico da mitologia que marcou as décadas anteriores dos Vingadores. É possível que essa saga marque o início de uma fase de muito sucesso não só para a franquia Vingadores, mas para o universo Marvel como um todo. Uma boa leitura.

Graphic Novels Marvel #35 – Mulher-Hulk – Mulher Solteira Procura, que reúne as edições #1-6 da revista She-Hulk, escrito por Dan Slott e desenhos de Juan Bobillo e Paul Pelletier, lançado pela Editora Salvat.


Às vezes não é fácil conciliar a vida de super-heroína com a de advogada, mas quando recebe uma proposta de trabalhar na agência Goodman, Lieber, Kurtzberg & Holliway que lida com casos de super-humanos, Jennifer Walters pode usar todos os seus talentos. Desde casos envolvendo um homem de família que não quer seus recém-adquiridos poderes acidentalmente, um fantasma que quer depor no tribunal e até mesmo o Homem-Aranha processando J. Jonah Jameson por calúnia, a Mulher-Hulk vive uma nova etapa inusitada em sua vida, tanto profissional quanto pessoal.

Dan Slott conseguiu impor um tom muito divertido, ao mesmo tempo em que preserva as raízes da personagem, desenvolvendo especialmente seu lado psicológico. Jennifer Walters é insegura, com complexo de inferioridade, mas deve deixar a Mulher-Hulk de lado para se tornar a advogada que o universo Marvel necessita. Uma boa pedida. Leitura recomendada.

Graphic Novels Marvel #36 – Surpreendentes X-Men - Superdotados, que reúne as edições #1-6 da revista Astonishing X-Men, escrito por Josh Whedon e desenhos de John Cassaday, lançado pela Editora Salvat. 


A Escola para Jovens Superdotados está de volta com um novo corpo docente administrativo formado por Ciclope, Emma Frost, Fera, Kitty Pryde e Wolverine. Além de cuidar e treinar jovens mutantes, Scott está determinado a transformar os X-Men em heróis a começar com o uso de uniformes mais “heroicos”, ou coloridos. Enquanto isso, a Dra. Kavita Rao anuncia a cura para o gene mutante e o misterioso guerreiro Ord do planeta Grimamundo liderando um grupo de mercenários precisa matar Colossus a fim de evitar uma catátrofe em seu planeta natal.

A estreia de Joss Whedon num título dos X-Men foi simplesmente fenomenal. Diálogos afiados, bons momentos de humor, grandes lutas, e uma trama bem elaborada. A “cura mutante” gerou bastante controvérsia e foi bem desenvolvido, mas ao mesmo tempo, o relacionamento entre os cinco x-men foi bem explorado. Whedon deu atenção em especial à Emma Frost e Kitty Pryde, que rendeu momentos incríveis.

Ele também fez muitas homenagens à fase clássica de Chris Claremont e John Byrne – a volta dos uniformes coloridos, o relacionamento direto e sem rodeios entre os integrantes do grupo, um adversário alienígena, Colossus fazendo o lançamento especial do Wolverine, entre outras coisas. Logo no início do arco Whedon já deixou claro sua intenção de trazer os elementos clássicos dos X-Men de volta, mostrando o retorno de Kitty Pryde à mansão – era como se a volta de Kitty representasse uma volta aos bons tempos de Claremont/Byrne. Leitura altamente recomendada!

Graphic Novels Marvel #37 – Surpreendentes X-Men - Perigoso, que reúne as edições #7-12 da revista Astonishing X-Men, escrito por Josh Whedon e desenhos de John Cassaday, lançado pela Editora Salvat. 


Os X-Men e o Quarteto Fantástico lidam com um monstro gigante que pertence ao Touperia. Asa tenta se adaptar com a “cura” de seus poderes, mas não consegue e acaba se suicidando (ou será outra coisa?). Kitty e Colossus ainda estão tentando se entender após a incrível descoberta de que Peter está vivo. A Sala assume uma forma robótica e ataca todos os X-Men, encurralando Kitty e os alunos dentro da própria sala. Finalmente ficamos sabendo que o Clube do Inferno parece estar por trás manipulando Emma Frost.

Joss Whedon trabalhou com um conceito muito interessante – a Sala do Perigo – já que ela foi, de fato, projetada para “destruir” os X-Men. Então, quando ela assume vida própria, a única coisa que ela sabe fazer é tentar matar os mutantes. Na verdade, há outros fatores envolvidos, mas mesmo assim, Whedon soube desenvolver bem esse aspecto clássico nas histórias dos X-Men. Os desenhos de Cassaday continuam um show à parte. Leitura altamente recomendada!

Graphic Novels Marvel #38 – Pantera Negra - Quem, é o Pantera Negra?, escrito por Reginald Hudlin e desenhos de John Romita Jr., lançado pela Editora Salvat.


Wakanda é um pequeno país da África que jamais foi conquistada apesar das inúmeras tentativas de invasão. Um povo guerreiro, estratégico e recursos altamente tecnológicos à sua disposição. Essa aparente fortaleza intransponível chama a atenção da alta patente dos EUA, especialmente por se tratar de uma nação fechada quando se trata de assuntos de cooperação internacional. Além disso, Ulysses Klaw, o Garra Sônica, reúne um grupo de vilões formado por Rino, Batroc e até mesmo convence o Cavaleiro Negro, com o objetivo de invadir Wakanda. T’Challa precisa salvar seu povo, sua nação e sua família.

O roteirista Reginald Hudlin explora o universo do Pantera Negra, enfatizando o reinado e suas tradições, além de explorar Wakanda, seu povo, sua cultura e seu poder militar. Incluir um vilão tradicional como o Garra Sônica foi uma decisão acertada. Hudlin também aborda o aspecto político ao mostrar a maneira como o governo americano reage diante de uma potência rival. Um excelente início para quem deseja conhecer o personagem. Leitura recomendada.

Graphic Novels Marvel #39 – Motoqueiro Fantasma – Estrada para a Danação, que reúne as edições #1-6 da revista Ghost Rider Vol.4, escrito por Garth Ennis e desenhos de Clayton Crain, lançado pela Editora Salvat. 


O Motoqueiro Fantasma está preso no inferno. Porém, recebe uma chance de liberdade, mas, para isso, precisa deter a entidade demoníaca Kazann, que pretende trazer o inferno à Terra, com a ajuda do inescrupuloso empresário Earl Gustav. Só que, a situação não é tão simples quanto parece. O Motoqueiro foi convocado por Malachi, um anjo renegado que esconde um grande segredo. Além disso, dois agentes – o caçador Hoss e a arcanjo Rute – também foram enviados pelos seus respectivos domínios. Por que tanto interesse assim em Kazann? E como o Motoqueiro Fantasma se encaixa nessa questão entre o Céu e o Inferno?

Garth Ennis com todo o seu sarcasmo e humor ácido está à vontade nesse arco do Motoqueiro Fantasma. Sem se apegar profundamente a pontos cronológicos, Ennis cria uma história que pode atrair qualquer leitor sem conhecimento prévio. É visível o humor negro do autor em vários momentos, como por exemplo, quando o Motoqueiro acaba de sair do inferno e atropela um grupo de radicais preconceituosos prontos para sacrificar um inocente, sem se dar conta do que acabou de fazer, tamanha era sua alegria. Os desenhos de Clayton Crain e a colorização se encaixam perfeitamente nesse ambiente caótico. Uma excelente pedida. Leitura altamente recomendada.

Graphic Novels Marvel #40 – Dinastia M, que reúne as edições #1-8 da minissérie House of M, escrito por Brian Michael Bendis e desenhos de Olivier Coipel, lançado pela Editora Salvat.


Após seu colapso e ataque aos Vingadores, Wanda Maximoff foi levada em estado catatônico até Genosha para ser tratada por Magneto e Xavier. Porém, quando todas as tentativas de cura parecem ter se esgotado, os Novos Vingadores e os Surpreendentes X-Men se reúnem para decidir o destino da Feiticeira Escarlate. Sabendo disso, Pietro “corre” até Genosha para avisar seu pai. Quando os dos grupos chegam à ilha, não encontram mais ninguém, além de serem envoltos em um misterioso clarão.  E assim, inicia-se a Dinastia M, uma realidade criada a partir dos desejos de todos os heróis e vilões envolvidos nessa saga. Apenas Logan parece se lembrar de como eram as coisas antes e ele parte em uma jornada para encontrar e ajudar seus companheiros a despertar dessa ilusão utópica.

Dinastia M procura responder o que aconteceu com a Feiticeira Escarlate após os eventos de Vingadores – A Queda, mas também deixa outras questões a serem respondidas por todo o universo Marvel, especialmente sobre o destino dos mutantes. Além disso, é interessante a forma com o escritor Brian M. Bendis aborda a questão do poder de decisão. Primeiro, Vingadores e X-Men se reúnem para decidir o destino de Wanda. Segundo, quando alguns heróis haviam acordado para a realidade, foi levantada a questão se seria certo reverter tudo ao que era antes, pois não se tratava de impedir algum dano, ela já estava feito. Com isso, Bendis cria mais do que apenas uma minissérie envolvendo dois dos maiores grupos de heróis da Marvel, mas coloca os heróis em situações importantes e que dá o que pensar. Leitura altamente recomendada.

Por Roger


#31 - #35:





#36 - #40:





Nenhum comentário:

Postar um comentário