Pesquisar este blog

smc

quinta-feira, 2 de março de 2017

Megapost: Especial Kevin Smith

Kevin Smith é cineasta, ator e escritor de quadrinhos. Dentre os seus vários trabalhos, decidi escrever sobre quatro histórias que ele escreveu para a Marvel e DC, durante uma aproximadamente uma década.



Demolidor #1-8 (Diabo da Guarda), escrito por Kevin Smith e desenhos de Joe Quesada, lançado em 1998.


Análise:
Sem Seu grande amor Karen Page que o abandonou uma vez mais, o Demolidor se vê em meio a uma trama envolvendo o fim do mundo e o questionamento de sua fé. O que parecia mais um dia normal, o Homem Sem Medo se depara com um bebê que pode ser o anticristo. Macabes que diz representar uma organização secreta que luta pelo bem da humanidade pede que Matt entregue o bebê para que possam matá-lo e evitar o fim do mundo. O que fará o defensor de Hell’s  Kitchen?

Uma trama no melhor estilo cinematográfico com diálogos afiados, suspense, drama e uma boa dose de ação. É impossível ficar passivo ao ver como Matt acaba se deixando levar pelos planos de seu misterioso adversário, à medida em que nós mesmos tentamos entender e solucionar o caso. Kevin Smith explora a fundo o lado humano de Matt Murdock sem deixar de lado a faceta justiceira do Demolidor. Quando li pela primeira vez, lembro fiquei um pouco decepcionado com a solução do caso, mas dessa vez, pude entender um pouco melhor como as coisas foram sendo amarradas, mas principalmente, independente disso, o objetivo do escritor que foi, em última análise, prestar uma grande homenagem ao herói e ao homem. Leitura imperdível.

Arqueiro Verde #1-15 (O Espírito da Flecha), escrito por Kevin Smith e desenhos de Phil Hester, lançado em 2001.


Análise:
Com Oliver morto, Dinah, a Canário Negro e Connor Hawke, o novo Arqueiro Verde, filho de Ollie, combatem o crime em Star City. Repentinamente, numa certa noite, eis que Oliver Queen volta dos mortos e inexplicavelmente não se lembra de nenhum evento ocorrido na ocasião de sua morte. Agora, Dinah, Connor e até Roy Harper precisam ajudar Ollie a descobrir como ele está conseguiu voltar.

O escritor Kevin Smith consegue “ressuscitar” Oliver de maneira convincente ao incluir algumas motivações de Parallax, após ser derrotado na saga Zero Hora e o lado místico da DC com a presença de Etrigan. Também abordar vários elementos da mitologia do Arqueiro Verde, como a época em que ele e Hal Jordan fizeram uma viagem pelo interior dos EUA (fase clássica dos anos 70), seus companheiros mais próximos – Dinah, Connor e Roy – e a introdução de uma jovem personagem, Mia Dearden, que terá grande relevância para suas histórias futuras. A personalidade forte de Oliver continua bem parecida com a época em que suas histórias eram escritas por Mike Grell. Encontrar Kyle Rayner no lugar de Hal Jordan como o atual Lanterna Verde, e um forte atrito entre os dois, foi outro aspecto bem desenvolvido por Smith. Também gostei dos desenhos do Phil Hester que combinaram com o arco. Leitura altamente recomendada.

Homem-Aranha e Gata Negra #1-6 (O Mal no Coração dos Homens), escrito por Kevin Smith e desenhos de Terry Dodson, lançado em 2002.


Análise:
O Homem-Aranha investiga a morte por overdose de heroína de um estudante e suas pistas o levam até o ator Hunter Todd. A Gata Negra procura pelo paradeiro da modelo Tricia Lane, atual namorada do ator. Isso leva seus caminhos a se cruzarem. Mas, antes que Todd possa revelar toda a verdade, também é atacado por uma overdose, e o responsável é o misterioso Sr. Brownstone. A partir daí, o Homem-Aranha e a Mulher-Gata se unem em um esforço em conjunto para descobrir quem é o Sr. Browstone e capturá-lo.

A história basicamente poderia girar em torno dessa trama inicial, não fosse o fato de que, no meio dela, há uma reviravolta impressionante e, o que pareceria apenas mais uma história de aventura e humor no estilo Marvel Team-Up acaba se tornando uma jornada que faz jus ao título “O Mal no Coração dos Homens”, revisitando um passado de abusos, sobrevivência e cura. Kevin Smith também consegue desenvolver muito bem os novos personagens, além de uma boa interação entre os protagonistas, pontos altos dessa série. E também há participações especiais do Demolidor, Noturno e... Lois Lane e Jimmy Olsen!! Leitura recomendada.

Batman #1-3 (Cacofonia), escrito por Kevin Smith e desenhos de Walter Flanagan, lançado em 2009.


Análise:
O Coringa está à solta novamente depois de uma tentativa fracassada do Pistoleiro em tentar eliminá-lo por contrato. O Palhaço do Crime declara guerra contra o criminoso Maxi Zeus que havia roubado sua fórmula do sorriso, e cabe novamente ao Batman deter seu arquiinimigo e levá-lo de volta ao Asilo Arkham. Em meio a essa simples trama, temos a presença do misterioso vilão Onomatopeia, que o próprio Kevim Smith criou nas histórias do Arqueiro Verde. Pelo título e por sua presença, Onomatopeia parece ser o personagem central do arco, embora não haja indícios de que isso seja verdade. Sua motivação é nula, bem como sua participação em, si. Ainda assim, Smith resolve resgatar elementos de A Piada Mortal ao colocar o Batman e o Coringa frente a frente em um diálogo franco e direto. A impressão que ficou é que a Cacofonia estava no próprio roteiro, um conjunto de barulhos em desarmonia. Após ler outros trabalhos de Kevin Smith, como o Diabo da Guarda, o Espírito da Flecha e o Mal no Coração dos Homens, essa minissérie Cacofonia ficou bem abaixo do esperado. Leitura não recomendada.


Por Roger


Nenhum comentário:

Postar um comentário