domingo, 16 de abril de 2017

Review: Marvel DeLuxe Thor Vol. 2 - Em Nome do Pai (Editora Panini)

Veja a análise do Planeta sobre Thor – Em Nome do Pai, que reúne as edições #7-12 e 600 da revista Thor (2007), escrito por J.M. Straczynski e desenhos de Olivier Coipel e Marko Djurdjevic, lançado pela Editora Panini, como parte da coleção Marvel DeLuxe.


Comentário: 

#7: Esgotado pelo esforço de trazer todos os asgardianos de volta, com exceção de Sif e Odin, Thor entra no Sono de Odin para se recuperar. Durante o sono se encontra com seu Pai, que lhe conta sua história, desde os últimos dias de Bor, seu pai, até ele mesmo assumir o trono de Asgard e o nascimento de Thor, um ciclo que estava predestinado a se repetir.
#8: Odin revela toda a verdade que o levou a adotar Loki. Entendendo que o retorno de Odin não é possível sem a ameaça de Surtur, Thor luta uma última vez ao lado de seu Pai. Enquanto Thor repousa em seu sono, Donald Blake aproveita para reencontrar Jane Foster após tanto tempo. Na verdade, seu principal objetivo é a busca por Lady Sif, o que acaba decepcionando Jane. E o destino de Sif é revelado.
#9: Independente da maneira como tenha retornado, Loki continua a desfilar seu veneno verbal entre os nobres guerreiros de Asgard, tendo como alvo especial, Balder, o Bravo. Loki induz Balder a uma batalha contra alguns Gigantes do Gelo, tudo parte de seu estratagema para desestruturar o poder de Thor. Bill visita Asgard para se encontrar com Kelda.
#10: Loki revela a Balder, que ele também é filho legítimo de Odin, contando-lhe toda a história de seu nascimento e o motivo dele ter sido guardado em segredo até hoje. Balder indaga Thor sobre essa revelação, no que o deus do trovão confirma toda a verdade. Ainda assim, Loki insiste em instilar a conspiração entre os dois irmãos. A visita de Bill à Asgard e seu contato com a bela Kelda, mexeu com os sentimentos do jovem.
#11: Por direito, Balder se torna o novo Príncipe de Asgard, mas está sendo perigosamente aconselhado por Loki. Ainda mais diante de um povo guerreiro preso atrás das muralhas de Asgard, sem nada para fazer. Sif ainda continua a lutar pela vida, aprisionada no corpo de uma idosa em estado terminal. Um ano após o assassinato do Capitão América, Thor vai prestar suas homenagens.


#12: Loki está cada vez mais perto de conseguir trazer a ruína para seu meio-irmão Thor. Ele recorre a Hela para voltar ao passado em seu antigo corpo masculino para cumprir com sua própria profecia. Um momento em que vários fatos narrados até agora se conectam em um ato frio de vingança.
#600: Loki traz de volta Bor, pai de Odin sob seu encantamento, em plena Manhattan. Isso leva o deus renascido a um estado insano e apenas Thor pode parar seu avô, sem saber de quem se trata. As ruas da metrópole se transformam em um campo de batalha onde apenas um poderá sobreviver. Porém, o destino final da luta traz uma grave consequência para Thor, o banimento de Asgard.

Análise:
Thor conseguiu trazer de volta todos os antigos asgardianos, com exceção de Odin e Sif. Sobre seu pai todo-poderoso, Thor entra no Sono de Odin, para reencontrar com seu pai e resolver de uma vez por todas as questões que sempre ficaram pendentes. Porém, a busca por Sif continua, e o deus do trovão conta até mesmo com a ajuda de Donald Blake. Em Asgard, Loki, agora em um cirpo feminino, continua a instilar seu veneno mortal por meios de suas palavras sempre bem escolhidas a fim de trazer a ruína para seu meio-irmão Thor e todos os seus súditos.

Os laços familiares são enfatizados por JMS nesse segundo arco. A relação entre Odin-Thor, Thor-Balder e até mesmo com Loki, que, aliás, foi o personagem principal dessa trama. Retratado de maneira interessante, Loki fez jus a todo o seu histórico maligno, porém, limitando-se apenas às suas artimanhas verbais e de forma sutil, mais um ponto positivo para o escritor, que acerta no tom, mesclando dramas familiares nórdicos com suspense, ação e bom humor. Os desenhos de Olivier Coipel em especial nas feições de Loki é algo bem marcante. Enfim, JMS continua a comprovar sua competência ao trabalhar heróis conhecidos, mesclando novos e antigos conceitos de sua mitologia. Leitura altamente recomendada.

Por Roger




Nenhum comentário:

Postar um comentário